PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Cyborg critica Amanda Nunes após adiamento de luta: "Desrespeitoso"

Lucas Lima/UOL/Folhapress
Imagem: Lucas Lima/UOL/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

31/07/2018 16h50

A celeuma para a escolha de uma data e o adiamento em três meses de sua luta com Amanda Nunes parece ter irritado Cris Cyborg. Em entrevista publicada nesta terça-feira (31), a campeã do peso pena do UFC disparou contra a organização e também contra a adversária, que alegou lesão para negar um embate no mês de setembro.

“Amanda falou um monte de coisa, dizendo que não pode lutar, que está lesionada e precisa de seis meses para se recuperar. Ela me desafiou em janeiro e disse que está machucada e precisa de um tempo, tudo bem, mas eu sou a campeã da minha divisão e estou sempre lutando”, reclamou Cyborg ao site MMA Fighting, irritada com os nove meses que deve ficar parada neste ano.

Cyborg nocauteou a russa Yana Kunitskaya ainda em março, quando mais uma vez defendeu seu cinturão do UFC. Aos 33 anos, ela tem pressa de enfrentar Amanda Nunes, mas a campeã do peso galo, que a desafiou no início do ano, alega ainda estar em recuperação de uma lesão no pé direito, sofrida na vitória sobre Raquel Pennington em maio. O cabo de guerra tem rendido troca de farpas entre as lutadores, mas a princípio o confronto está marcado para o UFC 232, em 29 de dezembro, em Las Vegas (EUA).

“Ela [Amanda] está acostumada a lutar só uma vez por ano, mas eu estou pronta para lutar agora. Já se passaram quatro meses desde a minha última luta, e estou pronta. Não há desculpa. ‘Ah, mas não têm rivais para você’. Têm, sim. Se você olhar bem, têm. Sempre lutei no Invicta e sempre tive oponentes”, dispara, ainda mais descontente com o UFC.

Nesta semana Amanda Nunes alegou “não ser justo” entrar no octógono sem estar 100%. “Tenho várias coisas para fazer agora, de trabalho, então não posso fazer essa luta antes”, disse ao canal Combate. As declarações da “Leoa” irritam Cris Cyborg. “Se você ouvir as entrevistas, parece que ela está saindo de férias”, criticou. “Meu trabalho é lutar, eu quero lutar. Não quero ficar quase um ano parada no meu auge. É desrespeitoso”, disparou.

MMA