PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Aldo cita concussão de Holloway para explicar adeus: "Saúde em 1º lugar"

Max Holloway e José Aldo trocam golpes no UFC 218 - Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
Max Holloway e José Aldo trocam golpes no UFC 218 Imagem: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Vanderson Pimentel

Do UOL, em São Paulo

27/07/2018 04h00

A decisão está tomada: José Aldo deixará o MMA após fazer as quatro lutas restantes em seu contrato com o UFC. A primeira delas acontecerá no próximo sábado, quando o brasileiro, número 2 do ranking dos penas, enfrentará Jeremy Stephens pelo UFC Calgary, no Canadá. Entre os motivos para seguir com sua ideia de deixar os octógonos, o lutador de 31 anos citou o caso do campeão Max Holloway, que sofreu sintomas de concussão antes do corte de peso na disputa de cinturão cancelada contra Brian Ortega, em junho.

"Acho até que por isso (concussão) é o momento certo de parar. A gente faz o contrato valer, o primeiro objetivo é conquistar o cinturão. Não só eu, mas todos os atletas pensam nisso, a saúde vem em primeiro lugar e vamos tomar as precauções para isso não acontecer", disse o lutador em videoconferência.

Mesmo querendo se aposentar num futuro próximo, Aldo afirma que seu objetivo é ser campeão novamente do UFC. "Acho que primeiramente tenho que vencer no sábado. E aí sim, com a gente vencendo, acho que tenho uma grande oportunidade de disputar esse cinturão interino com o Ortega. Mas é uma situação delicada a do Holloway e se ele voltar a lutar, é difícil falar sobre isso."

UFC RIO 212 - Brasil tem escassez de cinturões no UFC

UOL Esporte

Para enfrentar Stephens na luta co-principal do evento, o brasileiro promete que tentará usar novamente os chutes baixos, que o ajudaram a se manter campeão da categoria entre 2010 e 2015. "A diferença é que depende muito do adversário. Treinamos bastante, eu quero usar bastante as pernas, treino muito mas depende da luta. O Holloway não deixou eu chutar (nas derrotas em 2016 e revanche em 2017), mas agora a gente vem com novas táticas para que eu possa chutar bastante."

Aldo assegurou que a vontade de parar não mexe com a sua motivação para voltar a vencer um combate. "É mais fácil ainda (se motivar), porque você sabe que está chegando perto do fim, porque você não quer sair por baixo, e sim se esforçar mais. Continuo do mesmo jeito, sonho em querer sair campeão e esse é o meu maior motivo."

"Vencer e conquistar o cinturão. Para mim essa é a motivação. Tenho um orgulho de vitória, não aceito derrota. No dia em que eu perder essa chama, é a hora da gente parar", completou.

Apesar de estar confiante para a luta contra o número 4 do ranking, José Aldo crê, que independentemente do resultado do próximo sábado (28), seu legado já foi deixado para o MMA brasileiro.

"Estou treinando bastante porque eu quero conquistar isso. Mas se não for o caso de conquistar o cinturão eu saio sim, deixo um legado bom, tem gente nova nas categorias que se inspiram no meu legado. Fico feliz, porque sei que os novos se espelham na minha história e acho que o legado foi bem feito", afirmou.

MMA