PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Para 'Bate-Estaca', Amanda quer enfrentar Cyborg "por causa de dinheiro"

Jessica Bate-Estaca - Rey Del Rio/Getty Images
Jessica Bate-Estaca Imagem: Rey Del Rio/Getty Images

Brunno Carvalho e Vanderson Pimentel

Do UOL, em São Paulo

24/02/2018 11h00

Jéssica Andrade está a uma luta de disputar mais uma vez o cinturão da categoria peso palha feminino. Mas para isso, 'Bate-Estaca' terá de vencer a americana Tecia Torres, no co-evento principal do UFC Orlando, que acontece neste sábado.

Número 2 do ranking, a brasileira, que considera a adversária "muito ágil", afirmou que fez um treinamento completo para ter uma segunda oportunidade pelo cinturão da categoria.

"Podemos esperar de tudo um pouco. Quando não der para trabalhar na trocação, vamos para o chão. Estou preparada para tudo que ela mandar, tanto na trocação quanto no chão. A preparação foi excelente, tem tudo para dar certo", afirmou ao UOL Esporte.

Cotada inclusive para ter disputado o título com Rose Namajunas antes de o UFC marcar uma nova luta da campeã com Joanna  Jedrzejczyk, Jéssica afirmou ter ficado surpresa com a derrota da polonesa e não considerou injusto a organização optar pela revanche no UFC 223.

"Quando a Joanna ia disputar o cinturão com a Namajunas, ninguém imaginava que ela fosse perder. Então eu queria lutar com a Karolina (Karolina Kowalkiewicz). Quando a Namajunas venceu, eu já queria o cinturão. Mas pelo histórico da Joanna e tudo mais, contou muito e eles deram essa revanche para ela. Não foi injusto. Se estivesse no lugar da Joanna também pediria", explicou.

Para a luta do cinturão, que ocorrerá em 7 de abril, Jéssica já sabe para quem torcer. "Mais fácil de eu ter uma chance de eu disputar o cinturão (com a Namajunas). Com uma nova campeã, a categoria começa a rodar e mais meninas começam a ter chance. Quem está no Top 5 está mais próxima ainda."

Bate-Estaca x Amanda Nunes?

A paranaense também falou sua opinião sobre uma possível superluta entre as brasileiras Amanda Nunes e Cris Cyborg neste ano.

'Bate-Estaca' crê que a principal motivação da campeã do peso galo para desafiar Cyborg não foi o desafio. "Acho que foi mais questão de dinheiro para a Amanda. A Cris nunca quis essa luta, não é de fazer esse tipo de coisa: lutar com outra brasileira por causa de dinheiro. Mas a Amanda deixou ela tão brava que agora ela quer de qualquer jeito essa luta. Agora lascou", brincou.

E uma possível luta entre Jéssica e Amanda Nunes? Apesar da ambição em unificar cinturões, 'Bate-Estaca', que vem de vitória contra Claudia Gadelha, não pretende enfrentar outra brasileira campeã no UFC. "Se um dia eu for campeã do palha, tenho vontade de lutar nos galos. Mas se fosse outra brasileira, acho que não ia querer não. Quanto mais cinturões o Brasil tiver, melhor é."

MMA