PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Córner de José Aldo ameaça ex-namorada com faca e entra na mira do MP

Marlon Sandro se complicou de vez com a Justiça - Reprodução
Marlon Sandro se complicou de vez com a Justiça Imagem: Reprodução

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

21/02/2018 16h37

O lutador brasileiro Marlon Sandro se complicou definitivamente com a Justiça do Rio de Janeiro. No último dia 9, em pleno carnaval, o ex-córner e treinador de José Aldo, ameaçou a ex-namorada Thayssa e acabou enquadrado em novo inquérito na Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM). A informação foi publicada pelo MMA Fighting e confirmada pelo UOL Esporte com a delegada Gabriela Von Beauvais, que trabalha no caso.

O novo caso ocorreu no Carnaval. Marlon, ainda inconformado com o término da relação, voltou a perturbar a ex-companheira. Segundo o Registro de Ocorrência feito no mesmo dia 9, o antigo lutador da Nova União usou uma faca para ameaçar Thayssa em seu apartamento.

O relato diz que Marlon Sandro, com aspecto de alguém alcoolizado, segundo a vítima, entrou com a antiga companheira no apartamento e começou nova discussão. Além de usar uma faca para ameaçar a mulher, o antigo competidor do Bellator tentou sufocar Thayssa, que tentava afastá-lo aos gritos.

Marlon Sandro José Aldo MMA - Reprodução/Twitter - Reprodução/Twitter
Marlon Sandro (centro) trabalhou com José Aldo até agredir a ex-namorada
Imagem: Reprodução/Twitter

A ex-companheira do lutador conseguiu chamar a mãe e o irmão para socorrê-la. Marlon deixou o apartamento com a chegada dos dois parentes, que no mesmo dia trataram de denunciar o atleta pela segunda vez.

A ameaça deve complicar de vez a situação de Marlon Sandro. O lutador é alvo de inquérito por tentativa de feminicídio, aberto ainda em dezembro. Neste caso, o ex-córner de José Aldo aplicou socos e um mata-leão em Thayssa na rua; ele acabou desligado da Nova União após a agressão.

O caso de tentativa de feminicídio foi relatado e remetido ao Ministério Público, que denunciou o atleta. O promotor Alexandre Murilo Graça reduziu o caso, primeiramente tratado como tentativa de feminicídio, para lesão corporal grave.

A reportagem procurou o advogado de Thayssa, Menandro Lobão, para comentar o caso. Em contato telefônico, porém, Lobão afirmou que só vai se pronunciar sobre o ocorrido após a decisão do Ministério Público.

MMA