PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Presidente do Santos explica como se encontra negociação do Huachipato por Soteldo

30/10/2020 20h02

Embora o Conselho Deliberativo do Santos tenha aprovado a proposta do Huachipato (CHI) por Soteldo, as negociações ainda não avançaram para que o Peixe tenha a ação contra ele na Fifa derrubada.

Os chilenos propuseram voltar a ter a integralidade dos direitos econômicos do atacante venezuelano. 50% foi adquirido pelo Peixe em janeiro do ano passado, mas nunca foram pagos, o que ocasionou na sanção contra o Alvinegro. Além disso, o Santos se livra da obrigatoriedade de compra dos outros 50%, além de pendências referentes a ausência de repasses por propostas e recebidas. O Huachipato (CHI) também pagaria diretamente a Soteldo R$ 1,2 milhão referente a dívidas que o Peixe tem em salários e direitos de imagem.

- Não está resolvido ainda, apesar de termos passado a questão pelo Conselho pela forma de negociação. Mas é negociação difícil e está sendo conduzida ainda. Qualquer negociação tem que ter o "ok" do Conselho Deliberativo. Conselho nos deu aval para negociar com o Huachipato e mantermos o Soteldo, mas não podemos fugir desses parâmetros. E negociações são dinâmicas - disse o presidente santista Orlando Rollo em entrevista coletiva virtual concedida nesta sexta-feira (30).

- Temos ótimo relacionamento com Soteldo. Santos deve mais de R$ 1 milhão, é uma vergonha. Nunca pagou o Huachipato. Soteldo joga de graça desde que chegou em janeiro de 2019. Isso achincalha o nome do Santos. Eu gosto de dar o exemplo que a gente compra a cobertura, mora lá, não paga um real para a construtora, nem um real de condomínio. Tem que devolver. Mas conseguimos manter o Soteldo por mais alguns tempo e fazemos verdadeiro milagre. Gostaria do torcedor entender que a negociação continua e Soteldo não sai - acrescentou.

Caso a negociação se concretize, Soteldo voltará a ter o 100% dos seus direitos econômicos ligados ao Huachipato (CHI), mas os federativos seguirão com o Peixe, o que fará com que o jogador permaneça jogando pelo Alvinegro até o time do Chile negociar o venezuelano por uma proposta que considere vantajosa. O Peixe terá direito a 10% do "mais valia" de negócios acima de 8 milhões de dólares.

Futebol