PUBLICIDADE
Topo

Pausa no futebol breca temporada artilheira de João Pedro, do Cagliari

30/03/2020 18h26

Com poucas oportunidades no futebol brasileiro, foi na Europa que o destino quis que o promissor João Pedro brilhasse. Revelado nas categorias de base do Atlético-MG e com passagens importantes pelas seleções de base, o atual camisa 10 do Cagliari teve sua temporada dos sonhos interrompida pela pandemia do coronavírus, que paralisou o futebol e o mundo.

Nas 28 partidas disputadas pelo modesto Cagliari em 2019/20, divididas entre Serie A e Coppa Italia, o meia-atacante de 28 anos marcou 17 gols e deu ainda duas assistências até a pausa das competições, dados que representam o melhor ano individualmente de João Pedro em toda sua carreira. Os números ainda conferiam ao jogador brasileiro o posto de quarto maior goleador na temporada italiana, atrás apenas dos astros Immobile, Cristiano Ronaldo e Lukaku, atletas renomados e de clubes milionários.

Figurinha carimbada em todas as partidas do Cagliari na temporada, João Pedro foi reserva em dois jogos pela Coppa, quando a comissão técnica optou por preservar seus principais jogadores. No restante, foi titular e artilheiro, tendo marcado diante de adversários como Inter, Roma e Fiorentina.

Logo em suas primeiras partidas como atleta profissional do Galo, em 2010, João Pedro despertou atenção do Palermo, da Itália, e foi negociado por 2,5 milhões de euros assim que completou 18 anos de idade. Ainda jovem, não se firmou e foi emprestado para Vitória de Guimarães, de Portugal, e Peñarol, do Uruguai. Após boa passagem no futebol uruguaio, veio ao Santos reencontrar Neymar, seu parceiro nas épocas de Seleção de base.

No Peixe, também não vingou e foi negociado com o Estoril Praia, de Portugal. Foi aí que as coisas começaram a andar para o jogador. Com nove gols marcados na temporada 2013/14, despertou a atenção do Cagliari e retornou ao Calcio, competição que vem disputando ininterruptamente há seis anos.

A paralisação forçada não desanima, e João Pedro promete retornar aos gramados ainda mais forte. Mesmo aos 28 anos, os sonhos de menino ainda se mantêm. Disputar títulos por um gigante e até mesmo vestir a Amarelinha novamente ainda motivam. E eles nunca estiveram tão perto de se concretizar.

Futebol