PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Presidente do PSG é acusado de subornar ex-secretário da Fifa

20/02/2020 10h34

O presidente do Paris Saint-Germain, Al-Khelaifi, foi acusado de subornar o ex-secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke. O antigo braço direito do ex-presidente Sepp Blatter também foi acusado de receber subornos pelos direitos de televisão da Copa do Mundo. O mandatário do clube francês já se livrou de imputações referentes a corrupção acerca das Copas de 2026 e 2030.

Um comunicado de imprensa do escritório do procurador-geral da Suíça diz que "o órgão acusou Valcke de aceitar subornos, várias acusações de má gestão criminal e falsificação de documentos. Os fatos nesta acusação não são mais caracterizados como fraude. Al-Khelaifi e um terceiro acusado são acusados de indiciar Valcke por cometer má gestão criminal. O terceiro também é acusado de suborno."

Em resposta às acusações, o presidente do PSG fez questão de lembrar que já se livrou de acusações anteriores e se diz inocente novamente.

- Eu tenho enorme expectativa de que isso seja provado completamente infundado e sem qualquer substância. Após três anos de exaustivas investigações, em que cooperei abertamente com o Ministério Público da Suíça, estou satisfeito por todas as acusações de suborno relacionadas às Copas do Mundo de 2026 e 2030 terem sido retiradas.

Valcke foi banido do futebol por 12 anos a partir de 2016 após ter sido considerado culpado por má conduta com a venda de ingressos para a Copa do Mundo, abuso de despesas de viagem, tentativa de vender os direitos de TV abaixo do valor de mercado e destruição de provas. Já Al-Khelaifi é presidente do maior clube da França e foi responsável pelas contratações de Neymar e Mbappé na equipe.

Futebol