Topo

Futebol


O cara da decisão e a cara do Athletico: Assim como o Furacão, Rony se coloca em outro patamar

19/09/2019 00h51

Em outro patamar. Assim como o Athletico-PR, o atacante Rony deixa a Copa do Brasil em outro nível. Grande nome da decisão, iniciando a jogado do gol de Citadinni e marcando outro na vitória por 2 a 1 sobre o Internacional, nesta quarta-feira, que garantiu o título inédito ao Furacão, o jogador de 24 anos colocou seu nome da história do clube e mostrou que vive o seu melhor momento da carreira.

Reserva importante no título da Copa Sul-Americana na última temporada, ele foi titular em toda a disputa da Copa do Brasil. E ele não foi importante só na decisão. Nas quartas de final, contra o todo poderoso Flamengo, Rony marcou o gol do empate em 1 a 1, no Maracanã, que levou a decisão para os pênaltis. Nas cobranças, o Furacão levou a melhor e avançou.

Agora, no segundo jogo da decisão contra o Inter, ele foi, mais uma vez, decisivo. Iniciou a jogada do primeiro gol, ao fazer puxar um ataque pela esquerda e dar um ótimo passar para Marco Ruben, que só rolou para o meio da área, onde Léo Citadinni recebeu e deslocou Lomba. Nos acréscimos do segundo tempo, após ótima jogada de Cirino, Rony apareceu na área e finalizou para o gol. O tento do título do Furacão.

O gol na decisão da Copa do Brasil foi o seu sétimo em 32 jogos na temporada. O que mostra a evolução de um ano para o outro. Em 2018, o atacante disputou 23 jogos, mas apenas cinco como titular. E marcou quatro gols. Na atual temporada, ele só começou uma partida no banco de reservas.

Revelado pelo Remo, Ronielson da Silva Barbosa, o Rony, só entrou nas categorias de base do clube aos 17 anos. Mas foi rápido para o time profissional, quando se destacou e foi vendido para o Cruzeiro, onde foi integrar o time sub-20.

Na Raposa, antes de ter chances no time profissional, acabou cedido para o Náutico, em 2016. Antes com problemas nas finalizações, o atacante se desenvolveu durante a temporada e acabou o ano como artilheiro do Timbu na Série B, com 11 gols. Mas o time pernambucano acabou na quinta colocação, a três pontos de se classificar para o Série A. No fim do ano, o atacante foi negociado pelo Cruzeiro com o Albirex Niigata, do Japão.

No time japonês, ficou apenas um ano, disputou 36 jogos e fez oito gols. No começo de 2018, quase foi parar no Botafogo. Ele chegou a ser anunciado oficialmente pleo clube, mas em uma negociação confusa envolvendo o Cruzeiro e o Albirex Niigata, cheia de reviravoltas e com uma briga judicial, acabou ficando sem poder jogar durante meses. Só foi contratado pelo Furacão em agosto e estreou um mês depois. E logo com gol. Ele marcou na vitória por 2 a 0 sobre o Bahia, na Arena da Baixada. Aí, começou a dar novos passos na sua carreia.

Mais Futebol