Topo

Futebol


Carille não esconde frustração por empate: 'Saímos bastante chateados'

25/08/2019 22h04

O técnico Carille não escondeu a decepção com o empate do Corinthians com o Avaí, em 1 a 1, no estádio da Ressacada, neste domingo, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os donos da casa abriram o placar com Richard Franco, e o Timão empatou com Vagner Love. Após a partida, o comandante, em tom de tristeza, falou sobre o resultado.

- Saio, sim (decepcionado). Mas ao mesmo tempo a diferença para o líder era de nove pontos, veio Inter, Botafogo e jogo de hoje e são cinco. Saímos bastante chateados, sabemos do resultado. Passei para o excesso de vontade não atrapalhar. Saímos perdendo, fomos buscar no final. Seguimos nossa caminhada, estamos perto da zona de Libertadores, diminuímos um ponto em relação ao quarto colocado, disse o treinador.

O Corinthians muda a chave e volta a focar na Sul-Americana. Na quinta-feira, o Timão encara o Fluminense pelo jogo de volta das quartas de final da competição. Ao ser questionado se o duelo com a equipe carioca terá pressão, o treinador garantiu que não há esse clima.

- Não é pressão, não. Quinta-feira é um jogo importante, normal gritarem. Gritam quando tem clássico contra Palmeiras, São Paulo, normal... Nossa postura não muda nada por conta do grito da torcida. É só um jeito de demonstrar apoio. Procurei entender isso quando ainda era auxiliar, afirmou o treinador.

Outros trechos da coletiva:

?

Pedrinho volta na quinta?

"Em questão de elenco, só começo a esboçar nesta segunda-feira, vamos treinar, ver como está Pedrinho. Só então vamos planejar o jogo de quinta-feira."

Equipe na cabeça para pegar o Fluminense?

"Temos que pensar em tudo, não só no jogo. Não sei se tenho Pedrinho para quinta-feira. Então, você tem jogadores com essa características para um jogo decisivo no Maracanã, que você não pode errar. Vital saiu do jogo contra o Fluminense com dor na coxa. São dois jogadores diferentes. Não posso correr o risco de ficar sem eles. Love por Boselli foi para ter mais movimentação porque estava com um jogador a menos. Tentei melhorar, tentei ajustar a equipe para que voltasse melhor, não deu. Deixei as substituições armadas para o segundo tempo."

Mais Futebol