Topo

Futebol


Daniel Alves e Juanfran: prontos para começar a fazer história no Tricolor

18/08/2019 07h00

Chegou o dia tão esperado pelo torcedor do São Paulo. Após semanas recheadas de notícias do interesse, da negociação, do anúncio e da apresentação das contratações de Daniel Alves e Juanfran, enfim a dupla irá estrear neste domingo,às 16h, diante do Ceará, no Morumbi lotado. A expectativa não é para menos, uma vez que tudo o que os dois astros do futebol mundial já trouxeram ao clube nesse período, mostra que dentro de campo a relação tem todos os motivos para dar certo e fazer história.

Não faz muito tempo que Dani e Juanfran treinam com o elenco do Tricolor, mas parece que já estão por lá há anos. Quem vê os treinamentos, nota a integração de ambos com o grupo e a entrega que dão a cada atividade proposta pela comissão técnica do clube, que internamente não esconde a satisfação de já ver esse tipo de resultado após os esforços nos negócios.

- Essa foi um pouco também a intenção de trazer deles. No dia a dia, no vestiário, é um trabalho de formiga que complementa o que já tem. Não tem nenhum mistério em especial, mas os caras trazem um contexto que vocês já viram como mudou o São Paulo nas últimas semanas. Só isso já indica que deu certo - declarou Lugano em entrevista ao LANCE!

O espírito competitivo de Daniel Alves, algo que que faltava no São Paulo, segundo cobrança dos torcedores, é nítido em qualquer exercício nos treinos no CT da Barra Funda. Mesmo com mais de 40 títulos na carreira, capitão da Seleção Brasileira, consagrado no esporte, ele não admite perder nem no coletivo e não deixa de cobrar os companheiros por passes errados, finalizações fora de hora, ou equívocos que comprometem resultados.

Se Dani leva a sério cada segundo dos trabalhos orientados por Cuca e seus auxiliares, ele também não deixa de participar das brincadeiras, das provocações e das apostas com jogadores. Invariavelmente sua gargalhada alta é ouvida antes, durante e após os treinamentos. Apesar de sua fama mundial, no dia a dia ele não tem e nem parece exigir tratamento diferenciado.

Era sabido que o "pacote Daniel Alves" traria tudo isso, mas não era certeza que a chegada de Juanfran teria o impacto e a aprovação tão instantânea. O espanhol é uma "figuraça", dentro e fora do campo. Com os jornalistas, sempre tenta fazer uma brincadeira em português e faz questão de posar para fotos. No gramado, mesmo com o frio de São Paulo, não abriu mão da camiseta de manga curta e do calção, enquanto todos os outros preferiram se proteger.

Para ele, não parece haver incômodo em estar em outro país, em uma cultura diferente, em um tipo de futebol distinto, o prazer ali é de encarar o desafio e trabalhar, sem deixar de lado as suas características, que traz da Espanha, como a entrega, a forte marcação, o comprometimento e a liderança de quem se acostumou a vencer e a lidar com os altos e baixos no mais alto escalão.

- Todas as pessoas que me conhecem sabem como eu sou e eu penso em todos esses anos, que para dar o máximo rendimento como jogador, é importante o sentimento de pertencimento no clube. Por isso eu quero, desde o primeiro dia, falar bem o português para todos os brasileiros, ter boa conexão com todos, mas trabalhar muito para que a torcida do Tricolor tenha o mesmo carinho por mim que tem a torcida do Atlético de Madrid, esse é meu sonho, ser um dia um ídolo para a torcida tricolor. Vim aqui para trabalhar, trabalhar, trabalhar e ganhar, para que a torcida esteja contente com a equipe e comigo - disse o lateral em coletiva na última sexta-feira.

Daniel Alves deve iniciar o jogo atuando no meio-campo, fazendo companhia a Luan e Tchê Tchê, enquanto Juanfran tem chance de começar na lateral direita, no lugar de Igor Vinícius. No entanto, titulares ou reservas, ambos já conquistaram a admiração da torcida, dos companheiros e de todos os envolvidos com o São Paulo, talvez até de rivais, e agora querem iniciar suas trajetórias dentro de campo, diante do torcedor, traduzindo tudo o que mostraram nessas primeiras semanas em títulos e em história. Chegou a hora!

Mais Futebol