Topo

Coritiba arranca virada no fim contra o São Bento em "ataque contra defesa"

Rafinha comemora após marcar para o Coritiba contra o São Bento pela Série B - Gabriel Machado/AGIF
Rafinha comemora após marcar para o Coritiba contra o São Bento pela Série B Imagem: Gabriel Machado/AGIF

16/07/2019 21h16

Não foi das partidas mais brilhantes, mas certamente fibra não faltou ao Coritiba. Diante do São Bento, nesta terça-feira (16), pela décima rodada da Série B, o time saiu atrás e buscou forças de onde conseguiu para obter uma suada e sofrida virada por 2 a 1. O placar fez o Alviverde saltar para a nona posição com 15 pontos, enquanto o time de Sorocaba continua na zona de rebaixamento, na 17ª posição, com oito pontos.

Quem deu as caras primeiro no ataque até foram os donos da casa com uma movimentação ofensiva que buscava a "blitz" inicial em meio a jogadas que pecavam nas conclusões.

Com isso, aos 11 minutos, a zaga do Coxa fez um corte apenas parcial em raro ataque do São Bento e o meio-campista Doriva, batendo de primeira bola que estava já fora da área, acertou com rara felicidade no canto esquerdo de Wilson. Festa do banco paulista e do "xará", o técnico Doriva.

O Coritiba até criou chances de gols, mas William Matheus bateu cara a cara com o goleiro Henal e viu a bola passar muito perto da trave esquerda. Já Thiago Lopes bateu de letra após grande jogada individual de Rafinha e também não converteu.

Na volta do intervalo, o que já acontecia em grande parte dos 45 minutos iniciais se repetiu: o Coritiba buscava a armação das jogadas, se movimentando em bloco, enquanto o time do interior de São Paulo se limitava a defender-se como podia.

Apenas em chute dado por Zé Roberto de fora da área, além de falha grotesca cometida pela zaga do Coxa envolvendo Felipe Mattioni e Alex Muralha, o Bentão chegou a causar algum problema à meta dos donos da casa.

Se estava difícil para o ataque do Coritiba converter sem uma "ajuda especial", Zé Roberto tentou ajudar na defesa e, em bola desviada por Rodrigão no cruzamento de Robson, ela bateu no camisa 9 do time paulista após ser espalmada por Henal e balançou as redes, para alívio do torcedor Coxa Branca, que foi em excelente número ao Couto Pereira.

O volume de jogo por parte do Coritiba aumentou consideravelmente mediante a igualdade conseguida "aos trancos e barrancos", fazendo com que a missão do São Bento em segurar o ponto que era conquistado ficasse cada vez mais improvável.

Aos 38 minutos, em bola que sobrou de corte feito pela zaga do interior paulista, o experiente Rafinha mostrou frieza para bater com extrema categoria, no ângulo direito de Henal para fazer 2 a 1 e decretar números finais ao jogo.

Coritiba