Topo

Futebol


Trio 'brazuca' do Peru corresponde às expectativas e se destaca em 'decisão'

19/06/2019 09h55

Na entrevista coletiva da véspera do confronto entre Peru e Bolívia, Ricardo Gareca definiu o duelo desta terça-feira como uma "decisão" que seria definida em detalhes, já que ambos tropeçaram na estreia da Copa América. E, pela segunda rodada do Grupo A da Copa América, o trio "brazuca" da seleção peruana decidiu e colaborou diretamente na vitória por 3 a 1, no Maracanã.

> CONFIRA A TABELA DA COPA AMÉRICA

Trauco, Cueva e Guerrero, jogadores de e Flamengo, Santos e Internacional, respectivamente, não se omitiram e corresponderam às expectativas da torcida peruana - e da dos clubes brasileiros pelos quais defendem. Confira análises dos três abaixo:

TRAUCO

Titular absoluto da seleção peruana, Trauco teve uma atuação segura ao longo dos 90 minutos diante da Bolívia, apesar de os rivais explorarem o seu lado com mais afinco - primeiro com Saavedra e, depois, com Vaca. O lateral-esquerdo não comprometeu atrás - o que é uma preocupação corriqueira da torcida do Flamengo.

No ataque, principalmente no segundo tempo, Trauco segurou mais em seu campo de defesa, uma vez que Gareca optou por dar mais liberdade ao outro lateral, Advíncula, pelo lado direito. Porém, nas vezes em que apoiou, ratificou a sua técnica afinada.

- Hoje eu me senti melhor. É difícil entrar em campo sem uma sequência de partidas, por isso os amistosos e até a primeira partida foram mais complicados. Graças a Deus, estou tendo a confiança do professor, tenho que agradecê-lo e continuar crescendo - disse o defensor, na zona misa.

CUEVA

Para o jogo de "vida ou morte" contra a Bolívia, Gareca entrou com um esquema diferente: barrou o meio-campista Gonzáles e pôs o ponta direita Polo, deixando Farfán como meia e mais próximo de Guerrero. Por tabela, Cueva, na ponta esquerda, encontrou mais facilidade para flutuar e se associar com o meio-campo peruano.

E o jogador do Santos brilhou. Quando a Bolívia vencia por 1 a 0 e o Peru não estava conseguindo construir, Cueva caiu por dentro e deu uma linda assistência para Guerrero deixar tudo igual e abrir o caminho para a virada. Em tempo: o camisa 8 ainda arrumou boas inversões de jogo.

GUERRERO

O dono da noite. Eleito o melhor em campo, Guerrero teve o seu prestígio testado e respondeu com um belíssimo gol e participação ativa na vitória. Desde 2007 em Copas América, o centroavante do Inter passou a acumular 12 gols em 21 jogos disputados na história do torneio, igualando o chileno Vargas como o maior artilheiro da competição em atividade.

Aliás, Paolo voltou a marcar no Maracanã após pouco mais de dois anos. De volta ao estádio, se movimentou bastante, fez bem o papel de pivô, como de praxe, e saiu ovacionado do palco que teve pouco mais de 20 mil peruanos presentes. Ele e o Peru, agora, já voltam as atenções para o jogo contra o Brasil:

- Agora vem o Brasil e sabemos que é um rival difícil, mas também podemos fazer uma grande partida. É lindo voltar (à Arena Corinthians, neste sábado), assim como foi hoje (terça-feira), vivi grandes momentos, tomara que também marque contra o Brasil - comentou Guerrero.

Mais Futebol