Topo

Futebol


Flávio Tênius revela que Jefferson deseja assumir cargo no Botafogo

19/06/2019 08h00

Jefferson é um dos maiores ídolos recentes da história do Botafogo. Após 13 anos, somando as duas passagens que teve, defendendo o clube, ele se aposentou no ano passado. Durante este período, o goleiro trabalhou com Flávio Tênius, preparador da posição, entre 2011 e 2014 e, depois, entre 2016 e 2018. Ao LANCE!, o funcionário falou da relação que tinha com o ex-atleta, iniciada ainda no Cruzeiro, na década passada.

- Minha relação com ele é muito bacana. Nós temos uma história maneira, que começou lá no Cruzeiro, quando ele teve a oportunidade de jogar com 17, 18 anos e fez mais de 80 jogos como profissional. Depois, a gente se reencontrou no Botafogo e logo depois ele foi convocado para a Seleção Brasileira, é uma coisa muito legal que nós temos, de confiança. Eu gosto dele e ele gosta de mim, existe uma confiança no trabalho, o resultado foi excelente - afirmou.

A relação entre Jefferson e Botafogo é tão grande que Flávio Tênius que as partes negociam algum tipo de ação envolvendo o goleiro, que deseja voltar a ficar perto do clube. Desde que se aposentou, o ex-atleta investiu em uma cafeteria e um business center em São José do Rio Preto-SP.

- A história está marcada, ele sabe do carinho que o torcedor tem por ele. Ele e o clube estão alinhando algumas ações, o Jefferson não quer ficar longe do clube, quer estar próximo, o desejo dele é ficar perto do clube e do torcedor. A parada dele foi recente, mas acho que também existe essa vontade da parte do clube, de ter um cara que fez essa história toda por perto - admitiu.

- Eu falo com ele até hoje, desde que ele parou. As vezes a gente se fala, nós sabemos que a opinião de todo mundo que ele ainda podia continuar jogando, mas foi realmente uma decisão dele, tivemos que respeitar. Ele também está me devendo umas cápsulas do café dele (risos), eu já cobrei duas vezes, mas o Jefferson não é mole não - completou.

Jefferson se aposentou sendo o terceiro jogador que mais vestiu a camisa do Botafogo - ao todo, foram 459 partidas entre duas passagens pelo Alvinegro -, atrás apenas de Nilton Santos, com 721 jogos e Garrincha, que entrou em campo representando o Glorioso em 612 oportunidades.

- Ele tinha uma rotina de anos né, acordar cedo, treinar, ele ainda está se adaptando a essa nova realidade. Ele escreveu o nome dele na história, é o terceiro jogador que mais atuou pelo Botafogo, eu até brinquei que ele tem que ser o terceiro mesmo, porque os dois primeiros são inalcançáveis. Ele também é, mas ficar atrás de Nilton Santos e Garrincha é um privilégio, e ele sabia disso, sempre me disse que realmente está no lugar que ele merece.

Mais Futebol