PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Verdão reclama de vento e campo em Londrina, mas ressalta vantagem

18/11/2018 21h08

No empate por 1 a 1 diante do Paraná, último colocado e já rebaixado, o Palmeiras não esconde que o vento que impediu lançamentos no primeiro tempo e até a grama alta do Estádio do Café, neste domingo. Mas o foco do discurso dos jogadores foi não usar desculpas e destacar que, apesar do tropeço, a vantagem na liderança do Brasileiro segue em cinco pontos.

- A gente não conseguia lançar uma bola e a linha do Paraná estava muito alta, mas o vento não deixava a bola passar. E foi um jogo muito desgastante, debaixo de temporal, grama muito alta, diferente do que temos costume. Mas deixamos a desejar, não podemos colocar a culpa no vento e na chuva - comentou Moisés, demonstrando até surpresa pelo espírito do adversário.

- Independentemente dos jogadores do Paraná, poderíamos ter feito um pouco melhor. Eles jogaram, deram a vida, comemoraram, fizeram cera, até achei que o empate faria alguma coisa para eles no campeonato - falou o camisa 10, em tom mais forte do que seus colegas ao falar do rival deste domingo.

- Ninguém é bobo, ainda mais quando vê o Palmeiras. Todos querem ganhar, mostrar serviço, fazer algo diferente. O Paraná impôs correria, ritmo diferente do que vinham fazendo. E, no primeiro tempo, ficou claro que o vento atrapalhou, não conseguíamos nem chutar a bola para frente, até para enxergar a bola era difícil. Mas isso não é desculpa - falou Weverton.

- Temos de pensar para frente, esquecer o jogo hoje. Não tem tempo para lamentar, todos precisam estar fisicamente e mentalmente bem para buscar a vitória em casa, na quarta-feira, e, quem sabe, conseguir o título em casa - continuou o goleiro.

O Palmeiras pode ser campeão na quarta-feira, quando recebe, no Allianz Parque, o América-MG, que está na zona de rebaixamento. O Verdão precisa vencer e torcer para Flamengo (também joga às 21h45 de quarta-feira, contra o Grêmio, no Maracanã) e Inter (enfrenta o Atlético-MG às 19h30 de quarta-feira, no Beira-Rio) não somarem três pontos.

- Não temos de ficar arrumando desculpa. Queríamos ter vencido. Era um jogo, teoricamente, que viemos para brigar para vencer. Sabíamos que poderíamos dar um passo muito grande para o título. Infelizmente, não conseguimos, tivemos dificuldade. Agora é trabalhar. Temos três jogos ainda e somos líderes. É focar na reta final para não cometer os erros que cometemos hoje - constatou Bruno Henrique.

Esporte