PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Problemas no setor defensivo igualam Real Madrid e Barcelona

Piqué e Sergio Ramos estão no centro das questões envolvendo o clássico - Sergio Perez/Reuters
Piqué e Sergio Ramos estão no centro das questões envolvendo o clássico Imagem: Sergio Perez/Reuters

26/10/2018 07h30

Real Madrid e Barcelona entram em campo neste domingo para realizar um dos maiores clássicos do futebol mundial. Em momentos distintos, ambas as equipes se assemelham em um fator: os problemas no setor defensivo. Enquanto o Real Madrid sofre com o desempenho ruim de seus zagueiros e laterais, o Barça conta com problemas de lesões e poucas opções para a zaga, além um mal-estar de Piqué com a diretoria catalã.

Panorama da crise merengue

O Real Madrid coleciona tropeços nesta temporada. Entre os principais, os quatro jogos sem vencer, que incluem as derrotas para o Alavés, por 1 a 0, sendo que a última vitória do rival tinha sido há 18 anos e para o Levante, por 2 a 1, em casa. Nesta partida, o gol de Marcelo encerrou um jejum de 481 minutos sem marcar. Antes disso, a derrota para o Sevilla, por 3 a 0, ligou o alerta da diretoria madrilena, ainda no início da competição. Pela Liga dos Campeões não foi diferente. A derrota para o CSKA, por 1 a 0, potencializou ainda mais a crise.

"Estamos criando e fazendo tudo que é possível para obter bons resultados. Estou seguro de que vamos dar a volta por cima com Lopetegui", disse Kroos, em entrevista coletiva

Pós-Copa de Varane é ruim

A parte defensiva do Real Madrid é composta pelos seguintes jogadores: Marcelo, Sergio Ramos, Varane e Carvajal, com Nacho de opção para zaga e Odriozola para a lateral direita. A derrota para o Sevilla rendeu muitas críticas para o lateral brasileiro. Boa parte dos gols e das ações ofensivas do Sevilla foram pelo lado esquerdo e a imprensa espanhola não poupou críticas ao jogador. Varane, por sua vez, teve erros decisivos nas derrotas para Alavés e CSKA, e ainda não conseguiu exibir um futebol convincente após a conquista da Copa do Mundo, pela França.

Dupla espanhola devendo

Sérgio Ramos é o jogador que mais participou de jogos nesta temporada, somando 1.110 minutos em 12 jogos. O zagueiro, apesar de manter sua veia artilheira (já são três gols até agora), não demonstra segurança e também foi influenciado pela má fase geral da equipe. O ruim desempenho ficou escancarado durante as datas Fifa. Convocado por Luis Enrique, o zagueiro teve atuação ruim determinante na derrota da Espanha para a Inglaterra, por 3 a 2. A seleção inglesa fez três gols no primeiro e Sérgio Ramos fazia dupla de zaga, justamente, com Nacho. A dupla não conseguiu se entrosar e errou nos três gols, marcados por Sterling (2) e Rashford.

"No Real Madrid tudo depende do capitão, de Sérgio Ramos. Quando ele está bem, a equipe está bem. Sério não está bem, quando se destaca é incrível, dá ritmo ao jogo com sua liderança. Ele que conduz o Real Madrid", disse Karembeu, ex-jogador do Real Madrid.

Desfalque e inexperiência

O Real Madrid não conta com boas opções de banco. Jogadores como Jesús Vallejo, Reguilón e Odriozola não tem a experiência necessária, ainda mais em tempos de crise. Contra o Barcelona, Carvajal vai ser desfalque, por conta de uma lesão na panturrilha e o retorno é esperado para o final de novembro.

Irregularidade do Barça

O Barcelona não vive uma crise como o Real Madrid, mas no Campeonato Espanhol passou por oscilações, que expôs a irregularidade do clube catalão e dependência de Messi. O Barça ficou quatro jogos sem vencer e sem demonstrar o estilo de jogo característico da equipe. Foram três empates (Girona, Athletic Bilbao e Valencia) e uma amarga derrota para o então lanterna Leganés, por 2 a 1, sendo que a equipe saiu na frente e viu o adversário virar a partida, com dois gols em um minuto.

"Temos plena confiança em Valverde e a temporada é muito grande. Temos confiança que os objetivos vão ser alcançados", disse o CEO do clube catalão, Óscar Grau

Lesões e elenco enxuto

O problema da zaga do Barcelona, além do desempenho em campo, que não convence, são as poucas opções. São apenas quatro zagueiros no elenco: Umtiti, Lenglet, Piqué e Vermaelen. A lesão de Umtiti, na primeira rodada da Liga dos Campeões, deixou claro que faltavam opções. Vermaelen também se lesionou e deixou o Barça com apenas dois zagueiros de origem no plantel. Lenglet, por sua vez, foi contratado nesta temporada e, apesar de jovem (23 anos), não conseguiu se firmar e não passou confiança para o treinador Ernesto Valverde.

"Estou confiante que neste domingo vai ser diferente. Temos que se preparar da melhor maneira para essa partida. Gostaria de ter feito gol, mas tomara que o gol saia no domingo", disse Lenglet, após a vitória sobre a Internazionale, pela Liga dos Campeões.

Piqué focado no tênis

Piqué é ídolo do clube, mas, aos 31 anos, entrou em uma polêmica com a diretoria do Barcelona, por conta de seus projetos fora de campo. O zagueiro espanhol está investindo no tênis, mais precisamente na Copa Davis e propõem uma reformulação no torneio, que não agradou os tenistas. Atletas como Roger Federer e Novak Djokovic se posicionaram de forma contrária as mudanças.

Dessa forma, Piqué resolveu, em sua folga, viajar para a China, apenas para conversar com Djokovic, que disputava no país asiático uma partida contra Alexander Zverev. O fato não pegou bem com a diretoria catalã, que acusa Piqué de estar mais concentrado em seus negócios do que nos jogos do Barcelona.

"No Barça insistem que Piqué está mais concentrado em seus negócios do que participar dos jogos. A diretoria do Barcelona está muito irritada, porque Piqué viajou 10 mil quilômetros de ida e volta para Xangai, apenas para convencer tenistas para que possam jogar a Copa Davis", alertou o programa de rádio espanhol 'El Chiringuito'.

Um dos líderes da equipe, junto com Messi, Piqué vai precisar de foco na partida contra o Real Madrid. Um resultado positivo para os Merengues é essencial para apaziguar a crise e dar mais tranquilidade para Lopetegui.

Esporte