PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Justiça, mas ruim para os objetivos: Vasco e Internacional empatam no RJ

26/10/2018 23h36

Na noite desta sexta-feira, Vasco e Internacional jogaram em São Januário e ficaram no 1 a 1. O empate foi justo pelo desempenho em campo, mas ruim para os objetivos das equipes nesta reta final do Campeonato Brasileiro - p Cruz-Maltino luta contra o rebaixamento e Colorado pelo título, e uma vitória nesta partida era essencial para ficarem mais perto de alcançar estas metas.

PRESSÃO INICIAL

Dentro da proposta trabalhada por Alberto Valentim ao longo da semana, o Vasco entrou em campo diante do Internacional de forma mais ofensiva e prudente. Os jogadores cruz-maltinos tiveram uma pressão inicial maior em relação ao Internacional, que esperava um erro vascaíno por um contra-ataque.

TENTAR, TENTOU...

Não se pode afirmar que o Vasco pecou na criação no primeiro tempo. Com a movimentação do meio de campo, os cruz-maltinos tiveram chances de gol, mas por falta de sorte não abriram o placar: aos 26 minutos com Willian Maranhão, que aproveitou sobra e obrigou Marcelo Lomba a operar um milagre, aos 35 em cobrança de falta de Fabrício e aos 46 em finalização de Yago Pikachu.

NOVA CONFIGURAÇÃO

No segundo tempo, o Internacional resolveu ir mais para cima, mudando a configuração vista antes do intervalo, quando esperava o contra-ataque. Com isto, passou a criar mais chances, apesar de também ter dado maiores espaços ao Vasco, como aos dois minutos quando Pikachu recebeu de Andrey e Lomba defendeu.

LÁ E CÁ

Aos 11 minutos do segundo tempo, o Internacional chegou Edenílson, com Martin Silva espalmando. Sete minutos mais tarde, Thiago Galhardo, que entrara no lugar de Fabrício - o lateral-esquerdo saiu revoltado de campo, direto ao vestiário, não querendo papo com ninguém -, respondeu a favor do Vasco e quase marcou, já que acertou a trave.

GOLS E JUSTIÇA

O jogo se encaminhava para o fim e os gols resolveram sair. Aos 39 minutos, Jonatan Álvez abriu o placar para o Internacional, aproveitando sobra de Martin Silva. Cinco minutos depois, Kelvin foi derrubado por Cuesta e a arbitragem marcou pênalti para o Vasco. Aos 46, Maxi López foi para a cobrança e converteu, Vasco 1 a 1. Resultado justo pelo apresentado, mas ruim para os objetivos dos times nesta reta decisiva.

Esporte