PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Caso beneméritos: Vasco desfaz acordo e autor diz ser 'ato político'

30/08/2018 18h04

A polêmica do "caso beneméritos" do Vasco, a qual parecia ter acabado em maio, ressurgiu nesta semana. Depois do presidente Alexandre Campello ter feito acordo via 42ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), tirando o título de beneméritos de 28 sócios agraciados com os status honoríficos pelo ex-presidente Eurico Miranda em 2017, o mandatário cruz-maltino voltou atrás e desfez o acordo. A informação inicial do acordo desfeito foi publicado pelo site da "Globo" e confirmada pelo LANCE!.

No acordo homologado pela Justiça, através da juíza Katia Cilene da Hora Machado Bugarim (relembre no tweet abaixo a íntegra), o Vasco reconheceu vícios, objetivos e subjetivos, relacionados com as concessões de títulos honoríficos, declarando as outorgas sem efeito. O clube, no acordo, também se comprometeu a regularizar o quadro de sócios, no que se referia aos associados indevidamente agraciados. Autor da ação na 42ª Vara, o qual fez o acordo em maio com o Vasco, Ricardo Figueiredo falou com o LANCE! como recebeu a notícia - com viés político, segundo ele e outros membros da oposição ouvidos pela reportagem - e os próximos passos.

- Recebi este ato do Alexandre Campello com muita tristeza. Desde que entrei no processo, representando o meu grupo Mudança com Segurança, entendemos desde o início que existia um erro no rito estatutário. Está sendo descumprido. Tanto é que na ação, o que pedimos é que estes 28 sócios apresentem a pontuação que os qualificariam a serem beneméritos. Mas eles não apresentam. A ação estava caminhando. Quando o Alexandre Campello entrou, ele achou por bem fazer este acordo conosco, os primeiros beneméritos que caíram tinha sido em ação justamente dele antes da eleição no ano passado - afirmou para completar:

- Os 28 sócios de agora foi da terceira tentativa de assembleia do Eurico Miranda, que os nomeou no ano passado. Ou seja, Campello sabe que tem irregularidades. Só que de forma política, com motivos políticos, ele desfez este acordo. Por isso que o Vasco não evolui, não agem com o correto, não respeitam o estatuto, continuam as pessoas no Vasco agindo por interesses momentâneos. Vamos continuar brigando na Justiça para o estatuto ser cumprido, agora em segunda instância. Eu já estava desconfiando desta movimentação deles porque depois que fizeram o acordo, não tiraram os nomes dos beneméritos do site do Vasco.

Nos corredores de São Januário, sócios e conselheiros viram este ato como um acordo de Alexandre Campello com o grupo político "Casaca", que tinha condicionado o apoio na votação de empréstimo de R$ 38 milhões - em primeira votação, neste mês, por um voto, a decisão foi adiada e ainda sem data marcada para nova tentativa -, para o fato do presidente do Cruz-Maltino desistir de tirar o título de benemérito a estes 28 sócios suspeitos, o que acabou sendo feito e com isto, espera-se agora pela aprovação do empréstimo. Otto Carvalho, membro do conselho Fiscal, também tem uma ação no TJRJ para tirar o título de benemérito a estes sócios que podem não ter cumprido as pontuações estatutárias para tanto.

Em despacho datado da última terça-feira, a juíza Katia Bugarim mandou o recurso para a segunda instância, já que com o acordo desfeito, a ação correrá normalmente, com agora um colegiado julgando se os títulos honoríficos devem ser dados a estes 28 sócios suspeitos ou não. Vale lembrar que na oportunidade do agraciamento, a reunião iria dar 29 títulos - apenas o nome de Hélio Donim, então apoiador de Fernando Horta, não foi agraciado. Dos 28, 20 ocuparam o Conselho Deliberativo (Code) do Vasco e 8 ficaram como suplentes. Nas últimas reuniões do Code, porém, os mesmos seguiam participando normalmente, já que Roberto Monteiro, presidente do órgão, afirmara não ter sido notificado.

Procurado pelo LANCE!, o Vasco não emitiu posicionamento oficial sobre o assunto.

Esporte