PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Loss confirma Romero, deixa Cássio como dúvida e analisa o Colo-Colo

28/08/2018 18h26

Após fechar o treino da véspera da partida contra o Colo-Colo (CHI), o técnico Osmar Loss concedeu entrevista coletiva e deu algumas pistas no Corinthians. O atacante Romero volta à equipe após cumprir suspensão diante do Paraná, no último sábado. Cássio, porém, continua em tratamento de dores no quadril e é dúvida.

- O Cássio continua em tratamento. Achamos por bem não expor as quedas (por isso não treinou em campo nesta terça), vai continuar em tratamento até antes da partida para ele e os médicos falarem qual a situação - disse Loss, antes de ser perguntado sobre a equipe.

- O Ralf joga porque o Gabriel está suspenso, e o Romero retorna à equipe. E paramos por aí - afirmou o treinador.

Loss também falou sobre a decisão de ter antecipado a concentração. Ao contrário do que normalmente acontece no Corinthians, o elenco já ficou hospedado no CT Joaquim Grava desde a antevéspera do jogo.

- Em conversa com diretoria e líderes do elenco, achamos importante nesse momento para mostrar o quanto queremos essa classificação. Deixar a família dois dias, não é cultura no Corinthians isso. Nessa conversa, todos acharam interessante fazer isso para buscar a classificação - declarou.

O Corinthians perdeu o jogo de ida por 1 a 0 e precisa da vitória para avançar. Se ganhar por 1 a 0, a disputa será nos pênaltis. Como na Libertadores há gol qualificado, Loss pediu atenção ao Timão.

- Esse é o grande desafio: conseguir ser ofensivo sem ficar exposto. Deixamos muito claro que temos 90 minutos para fazer um gol e levar para os pênaltis. Não vamos nos desesperar. Esperamos o mais rápido possível, mas é o grande desafio. Atacar o tempo todo sem expor. Tem que ter um time muito compacto e solidário em campo sabendo explorar o que o Colo-Colo oferece - disse Loss.

- Trabalhamos aspectos ofensivos e defensivos. Tentamos demonstrar como o Colo-Colo deve nos marcar. Pelo que analisamos o Colo-Colo, especialmente o nosso contra eles, tem caminhos que devem ser melhores explorados. O jogo mostra. Erra uma, duas ou três, e alguma vai entrar. Um exemplo disso é o gol do Paulinho contra a Sérvia na Copa do Mundo, foram sete ações iguais até sair o gol. Se na primeira ou na segunda o Brasil tivesse parado de fazer o movimento, o gol não ia surgir. Trabalhamos também aspectos defensivos, porque tivemos situações com Paredes e com Barrios que nos incomodaram um pouquinho - acrescentou.

Corinthians e Colo-Colo se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h45, na Arena em Itaquera, pela volta das oitavas de final da Libertadores da América.

Esporte