PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Suspensão, Copa e punição definitiva: a linha do tempo do caso Guerrero

24/08/2018 17h04

Na última quinta-feira, a Justiça da Suíça revogou o efeito suspensivo concedido a Paolo Guerrero. O jogador foi penalizado por 14 meses após atestar positivo em exame antidoping em novembro de 2017. Com a decisão, que é definitiva, o atacante peruano recém-contratado pelo Internacional ficará de fora dos gramados até abril de 2019.

A novela se estendeu por diversos capítulos desde o ano passado, passando por penas preventivas, suspensão de contratos e até mesmo a disputa da Copa do Mundo. O LANCE! relembra abaixo toda a linha do tempo do caso Guerrero, desde a punição provisória até a liminar ser revogada. Confira abaixo!

03/11/2017 - Fifa suspende Guerrero provisoriamente por 30 dias

?As primeiras notícias relativas ao doping de Guerrero vieram à tona ainda em 2017. No início de novembro, a Federação Peruana de Futebol (FPF) emitiu nota oficial, divulgando que a Fifa tinha enviado comunicado suspendendo o atacante por 30 dias. A medida era provisória, referente a um "resultado analítico adverso" no exame antidoping realizado após partida entre Peru e Argentina nas Eliminatórias da Copa do Mundo.

03/11/2017 - Flamengo se pronuncia sobre o caso

À época em que foi suspenso pela primeira vez, Guerrero ainda era jogador do Flamengo. No mesmo dia em que foi divulgada a punição provisória, o Rubro-Negro emitiu nota oficial acatando a decisão da entidade. Entretanto, nada foi discutido sobre uma possível suspensão do contrato; o clube resumiu-se a destacar a "conduta profissional exemplar" do peruano.

04/11/2017 - Substância encontrada no antidoping é a benzoilecgonina

?Menos de 24 horas após o anúncio da suspensão, foi descoberto que a substância presente na amostra A da urina de Guerrero era a benzoilecgonina, um metabólito da cocaína. O composto em si não consta na lista de substâncias proibidas pela Agência Mundial Antidopagem (WADA, na sigla original em inglês), mas a droga social encaixa-se na categoria S6, de estimulantes.

04/11/2017 - Médico do Peru se isenta de culpa em prescrição de remédios

Uma das teorias sobre a origem da benzoilecgonina na urina de Guerrero era de que ela era proveniente do chá de folhas de coca (muito difundido na região andina, especialmente no Peru), que teria sido usado pelo atacante como tratamento para uma crise gripal. Julio Segura, responsável pelo departamento médico da seleção - com quem o atacante esteve concentrado para as Eliminatórias da Copa do Mundo - afirmou que foram prescritos apenas analgésicos e antibióticos que não tinham quaisquer problemas relacionados a dopagem.

05/11/2017 - Equipe de defesa é definida e pede abertura de contraprova

O time de advogados de Guerrero, inicialmente composto por Pedro Fida, Bichara Neto e Marcos Motta, solicitou à Fifa a abertura da contraprova (amostra B de urina). No mesmo dia, a equipe viajou à Lima, capital do Peru, para uma reunião com a FPF; além disso, seriam reunidos alguns documentos que ainda não tinham sido submetidos à entidade máxima do futebol.

05/11/2017 - Guerrero é recebido com festa em Lima

Na chegada à capital peruana, o atacante foi recebido por uma multidão de torcedores locais, que o aguardavam na saída do aeroporto. Guerrero chegou a Lima acompanhado de sua equipe para reunir-se com integrantes da Federação Peruana de Futebol.

06/11/2017 - Atacante se pronuncia pela primeira vez

Passado o anúncio da pena, Guerrero se pronunciou pela primeira vez apenas após sua chegada a Lima. Em entrevista a uma rede de TV local, o atacante garantiu estar tranquilo com o andamento de seu caso e manifestou apoio a seus companheiros de Peru nas Eliminatórias - a seleção tinha pela frente a Nova Zelândia (nos dias 11 e 15) na repescagem visando a classificação à Copa, partidas em que o camisa 9 não pôde atuar. "Estou tranquilo. Vamos fazer força para ganhar. Estou unido com todo o grupo e meus companheiros. Eles têm todo o meu apoio. Vamos, Peru", disse.

10/11/2017 - Fifa mantém suspensão após abertura de contraprova

Após o pedido de abertura da amostra B (contraprova), a benzoilecgonina foi novamente encontrada na urina de Guerrero, o que fez com que a Fifa mantivesse a suspensão provisória de 30 dias. A data do julgamento inicial foi definida para o dia 30 de novembro de 2017.

30/11/2017 - Julgamento inicial do caso Guerrero na Suíça

Pela primeira vez, Guerrero e sua equipe de advogados se apresentaram diante do júri na Suíça; outras testemunhas também prestaram depoimento. Dentre as estratégias utilizadas, foram atestados um exame de cabelo e mostrado o baixo nível de concentração de benzoilecgonina na urina do atacante. O julgamento durou cerca de quatro horas.

05/12/2017 - Fifa amplia suspensão provisória

Os 30 dias previstos pela entidade máxima do futebol terminariam no dia 4 de dezembro, mas a Fifa ampliou em mais 20 dias a punição dada a Guerrero. Com isto, o tribunal ganhou mais tempo para analisar as provas apresentadas pela defesa do peruano antes de anunciar seu veredito.

08/11/2017 - Guerrero é suspenso por um ano

O desfecho não foi favorável como a defesa esperava: no dia 8 de novembro, foi anunciado que Guerrero estava suspenso do futebol pelo período de um ano. Os advogados reagiram com "extrema surpresa e decepção" (conforme divulgado em comunicado) e garantiram que iriam recorrer até a última instância possível do julgamento.

20/12/2017 - Pena é diminuída para seis meses

Após a entrada de recurso, o Tribunal de Apelação da Fifa diminuiu a pena de Guerrero para seis meses. Com o novo prazo para punição - que começou a ser contada no dia 3 de novembro de 2017 - Guerrero voltaria aos gramados em maio e estaria livre para jogar a Copa do Mundo (em junho) com a seleção do Peru. A defesa, entretanto, ainda planejava uma estratégia para conseguir a absolvição do peruano.

14/01/2018 - Flamengo suspende contrato com Guerrero

No início do ano, foi revelado que o Flamengo tinha suspendido contrato com Guerrero durante o caso de doping. O departamento jurídico do Rubro-Negro se respaldou na Lei Pelé (lei 9.615/98), que garante aos clubes o direito de suspender o vínculo - sem necessidade de remuneração - caso o atleta seja impedido de atuar por mais de 90 dias ininterruptos.

29/01/2018 - Advogados de Guerrero enviam apelo ao TAS

O Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) era a terceira e última instância disponível. Em janeiro, os advogados de Guerrero enviaram um apelo ao tribunal visando a absolvição total do peruano.

14/03/2018 - Guerrero volta a treinar no CT do Flamengo

A 45 dias do fim de sua pena de seis meses, que terminaria em maio, Guerrero teve seu contrato com o Flamengo reativado e voltou a usar as instalações do CT. O artigo 29 do Código Antidopagem da Fifa garante que um atleta poderá retornar às suas atividades nos últimos dois meses de sua suspensão (ou no último quarto da pena, desde que esta seja inferior a dois meses).

21/03/2018 - WADA pede dois anos de suspensão

A Agência Mundial Antidopagem (WADA) mostrou não concordar com a punição original de um ano (reduzida para seis meses) estipulada pela Fifa, o que resultou no envio de um apelo ao TAS no fim de fevereiro para que a pena de Guerrero se estendesse por dois anos.

03/05/2018 - Audiência final do caso dura 10h30 em Lausanne, na Suíça

14/05/2018 - TAS amplia pena para 14 meses e Guerrero fica fora da Copa

Quase duas semanas após o julgamento final, saiu a decisão do júri: o TAS não só manteve a pena de Guerrero, como ampliou a suspensão para 14 meses. Com o veredito, o atacante peruano só poderia retornar aos gramados em 2019 (ele já tinha cumprido seis meses da punição).

15/05/2018 - Jogadores pedem liberação de Guerrero à Fifa

Uma mobilização de jogadores de futebol ao redor do planeta surgiu menos de 21 horas após o anúncio da pena de Guerrero: a Federação Internacional dos Jogadores de Futebol (FIFPro) enviou carta à entidade futebolística pedindo a liberação do atacante. Todavia, o pedido não surtiu efeitos práticos, já que a decisão da pena é do TAS, que por sua vez é um órgão superior à Fifa.

18/05/2018 - Flamengo suspende novamente contrato com Guerrero

?

31/05/2018 - Guerrero consegue efeito suspensivo e pode jogar Copa

Condenado pelo TAS a 14 meses de suspensão, Guerrero encaminhou seu caso à Justiça Comum da Suíça, que lhe concedeu um efeito suspensivo. A medida foi apenas provisória, mas libertou o atacante para disputar a Copa do Mundo com a seleção do Peru; o TAS não se opôs ao recurso do peruano. Ainda restavam oito meses para o fim da pena.

10/08/2018 - Termina o contrato de Guerrero com o Flamengo

15/08/2018 - Guerrero é apresentado como reforço do Internacional

Em meio ao efeito suspensivo de sua pena, Guerrero deixou o Flamengo e foi transferido ao Internacional. O contrato com o Colorado, assim como com os cariocas, tem embasamento legal que garante a suspensão do vínculo caso o jogador não possa atuar.

23/08/2018 - Justiça revoga efeito suspensivo e atacante só jogará em 2019

A Justiça da Suíça revogou, nesta quinta-feira, o efeito suspensivo da pena de Guerrero. Com isso, o atleta será obrigado a cumprir os oito meses restantes de sua suspensão; recém-contratado pelo Internacional, ele só poderá estrear pelo Colorado a partir de abril de 2019. Esta decisão relativa ao caso de doping é definitiva.

Esporte