PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Fifa declara apoio ao Vasco no combate à violência e discriminação

24/08/2018 15h14

A Fifa, por meio de Federico Addiechi, diretor de sustentabilidade e diversidade da entidade, declarou em carta apoio ao Vasco em ações no combate à violência e discriminação. A organização máxima do futebol mundial respondeu nesta sexta-feira comunicado da segunda vice-presidente geral do clube, Sônia Andrade, que vem trabalhando neste ponto no ambiente esportivo. Houve também um agradecimento ao presidente Alexandre Campello.

No documento, a Fifa afirmou "parabenizá-la pelo seu compromisso e dedicação em abraçar a inclusão em nosso amado jogo. Você tem todo o apoio moral da FIFA nessa área, pois também estamos trabalhando incansavelmente para garantir que não haja espaço para discriminação ou exclusão em nosso esporte". A entidade máxima do futebol lembrou dos incidentes que ocorreram durante a Copa do Mundo da Rússia, mas que foram resolvidos rapidamente.

A carta enviada ao Vasco fala ainda da estratégia do programa Fifa 2.0 que "define a promoção dos direitos humanos, a inclusão de meninas e mulheres e a diversidade no futebol como parte integrante da visão abrangente da Fifa para o futuro". Completa dizendo que "essa visão está gradualmente se tornando uma realidade - em nossa própria organização, em nossos eventos, na promoção do futebol feminino e na orientação que fornecemos às nossas 211 associações membros sobre diversidade e antidiscriminação".

Por fim no documento enviado ao Vasco, a Fifa disponibilizou o Guia de Boas Práticas da Fifa sobre Diversidade e Anti-Discriminação (que pode ser acessado pelo endereço eletrônico http://www.fifa.com/gopodpracticeguide), atualizado em maio deste ano com informações úteis sobre o assunto. A entidade encerra dando exemplos de iniciativas mencionadas no guia, como o Programa de Desenvolvimento da Liderança Feminina da Fifa, realizado de 2015 a 2017, e a Conferência Internacional pela Igualdade e Inclusão, organizada pelo órgão no Dia Internacional da Mulher nos últimos três anos.

Esporte