PUBLICIDADE
Topo

Esporte

"Não sou nenhum drogado", diz Diogo Vitor, afastado no Santos por doping

Ivan Storti/SantosFC
Imagem: Ivan Storti/SantosFC

Do Lance

22/08/2018 12h05

"Não sou nenhum drogado", afirma Diogo Vitor.

26 de abril foi o dia em que a vida do jovem jogador do Santos virou de cabeça para baixo. O atacante foi flagrado no antidoping na partida contra o Botafogo-SP, na Vila Belmiro, pelas quartas de final do Campeonato Paulista. O exame apontou a presença de metabólitos da cocaína no organismo do atleta.

Desde então, o atacante de 21 anos teve o auxílio da diretoria do Peixe e de seus empresários. Porém, acabou envolvido em algumas polêmicas, como negar e abandonar o tratamento e sumir, sem dar satisfações. Mas, de acordo com Diogo, não foi o que aconteceu.

O jogador fez sessões particulares de tratamento e seguirá se tratando para retornar ao futebol. O momento é de "volta por cima".

"Nunca dispensei tratamento, me afastei da mídia a pedido dos meus empresários, mas sempre estive acompanhando tudo. Só gostaria que a mídia parasse de divulgar informação falsa, eu nunca sumi ou neguei tratamento. E quero voltar a jogar bola e dar alegria para o Santos. É isso", declarou Diogo em entrevista ao "Lance!".

"Não é fácil passar por isso. É o momento mais difícil que estou passando. Muitas pessoas se afastam... eu não sou nenhum drogado. Todos apontam o dedo, mas eu errei mesmo. Vou fazer o quê? Vou dar a volta por cima. Eu errei e foi só aquela vez. Eu quero mostrar para o Santos e para todos que me apoiaram que eu posso e vou retribuir isso, podem esperar", emendou.

Em entrevistas recentes, o presidente José Carlos Peres havia citado a dificuldade no contato com Diogo e sobre ele se negar ao tratamento. A dupla se reuniu na última quinta-feira, em São Paulo, para debater o assunto.

"Queríamos que ele fizesse um tratamento, mas ele não quer. Você não pode obrigar o cara a se tratar. Estou chamando para ele vir conversar, mas estamos sem contato. Ele não está aceitando esta forma de approaching (aproximação) da gente. Temos de mudar, mandar uma psicóloga atras dele", disse o dirigente, em entrevista ao Globoesporte.

Autor do gol de empate contra o Corinthians por 1 a 1, ainda pelo Campeonato Paulista, Diogo se apega na torcida para retomar, assim como na comemoração de seu gol. Suspenso, ele ainda não pode frequentar as dependências do CT Rei Pelé, pois a FIFA proíbe o atleta de entrar no clube enquanto cumpre a suspensão.

Esporte