PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Conmebol abre investigação contra o Santos para apurar caso de Sánchez

22/08/2018 13h21

A Conmebol informou nesta quarta-feira que abriu um expediente de investigação para apurar se houve irregularidade na escalação de Carlos Sánchez pelo Santos em partida contra o Independiente, na noite da última terça-feira, em Avellaneda, província de Buenos Aires. O próprio clube argentino insiste que o jogador atou de maneira irregular, já que ainda precisaria cumprir suspensão datada de novembro de 2015, quando ainda atuava pelo River Plate. O Santos nega a irregularidade.

Sánchez foi expulso em partida contra o Huracán, em novembro de 2015, no jogo de volta da semifinal da Copa Sul-Americana, após dar um tapa em um dos gandulas do jogo. A partida foi a última do River no torneio do qual acabou eliminado. O volante recebeu cartão vermelho direto. No ano seguinte, se apresentou já ao Monterrey, do México. Desde então, não disputou mais nenhum torneio da Conmebol.

De acordo com o regulamento e com o julgamento do caso, foi suspenso por três jogos. O problema é que no ano seguinte, 2016, a Conmebol, em seu centenário, concedeu anistia para praticamente todos os casos do ano anterior. O Independiente alega que a anistia foi de 50% da punição. Sendo assim, o jogador teria de cumprir ao menos um jogo de suspensão em torneios da entidade. Portanto, não poderia ter atuado contra os Rojos em Avellaneda.

Já o Santos, por sua vez, garante que consultou a situação do jogador e não teme qualquer tipo de problema. Segundo o clube, há um sistema da Conmebol chamado COMET, no qual aparecem todos os dados e a situação de cada jogador. Nele, Sánchez está em plenas condições de jogo. Ao contrário, por exemplo, de Dodô, que recebeu cartão vermelho na noite da última terça e já aparece como suspenso no sistema, impossibilitado de atuar.

- O atleta Carlos Sánchez foi anistiado quando do centenário da Conmebol, motivo pelo qual se encontra apto a realizar partidas pela Taça Libertadores da América - informou o Santos, pouco depois da partida, sem dar maiores detalhes sobre o caso.

Confira a nota oficial da Conmebol:

A Conmebol informa que o a Unidade Disciplinária da Conmebol iniciou um procedimento disciplinário de ofício ao Santos Futebol Clube pela suposta infração dos artigos 7.2 f), 7.2 j) y 19 do Regulamento Disciplinário da Conmebol

Artigo 7.2 - Principios de conduta. Constituem, entre outros, comportamentos e infrações passíveis de punição o descumprimentos do príncipio de:

F) Não cumprir as decisões, diretivas ou ordens, dos órgãos judiciais.

J) Colocar em campo ou inscrever um jogador não elegível para disputar o mesmo.

Artigo 19 - Determinação do resultado de um jogo por responsabilidade ou negligência de um todos times

1. Sem prejuízo de outras sanções que se possam impor, qualquer equipe cuja responsabilidade seja derterminante no resultado de um jogo, será considerado como perdedor desse encontro por 3 a 0. Se o resultado real for menos favorável para o clube ou associação responsável, o resultado será mantido.

2. Quando os jogos são disputados no sistema de Copa (eliminatórios), os gols fora de casa feitos de acordo com o ítem um não contarão o dobro.

3. No caso de escalação indevida de um jogador se aplicará o disposto dito nos ítens 1 e 2 deste artigo apenas se a equipe contrária fizer uma reclamação oficial no prazo de 24 horas uma vez finalizado o jogo. Salvo se a escalação irregular tenha acontecido porque o jogador em questão descumpriu uma sanção regulamentar, decisão ou ordem dos órgãos judiciais. Nestes casos, a Unidade Disciplinária inciará o procedimento de oficio.

Esporte