PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Ex-Corinthians se torna empresário e participa de evento com jovens brasileiros que irão estudar nos EUA

26/07/2018 16h53

Acostumado a estádios lotados desde muito novo, o ex-jogador do Corinthians Bruno Octávio subiu ao palco, na última terça-feira, para arrancar aplausos de outro tipo de público. Sentados nas poltronas do auditório estavam 50 jovens inscritos no programa de intercâmbio da agência MVP Exchange, que estão prestes a viajar para os Estados Unidos para estudar e jogar futebol em instituições de ensino.

A aposentadoria dos gramados é um grande dilema na vida dos jogadores de futebol. Na maioria das vezes, a carreira se prolonga até próxima dos 40, mas com Bruno Octávio foi diferente. Hoje, com 32 anos, em boa forma e com alguns cabelos brancos, o ex-atleta do Corinthians já está há três aposentado, idade em que muitos ainda estão no auge. Se a bola parou de correr, a vida teve que seguir e foi daí que ele deu o seu principal conselho aos garotos que desejam viver do esporte nos Estados Unidos.

- O esporte abre oportunidades para o resto de nossas vidas. Parei de jogar e tive que buscar um novo emprego com 30 anos. Isso só foi possível por conta do futebol. Esses jovens são privilegiados por usar o talento com a bola em troca de bolsa de estudos. De uma maneira diferente, mas, assim como eu, usam o futebol para abrir portas. Se os garotos se dedicarem e focarem, podem estar abrindo portas para o resto de suas vidas - afirmou o ex-Timão, sócio da B.R.A. Sports, empresa destinada a jovens da região de Jundiaí que pretendem atuar e estudar nos Estados Unidos.

Com um currículo vencedor no futebol, Bruno Octávio viveu 14 anos no Corinthians. Jogou com estrelas do esporte mundial, como Ronaldo Fenômeno, Carlos Tevez, Mascherano, Adriano Imperador e, entre tantos títulos, conquistou o bicampeonato Brasileiro (2005 e 2011), Série B (2008) e Campeonato Paulista (2009).

E foi com toda essa experiência no futebol profissional que o ex-jogador tratou de enaltecer a estrutura do esporte amador nos Estados Unidos.

- Já treinei e joguei em muito lugar ruim. Posso garantir a vocês que, pelo tempo que viverem no exterior, vocês terão acesso a recursos que não temos na maioria dos clubes profissionais do Brasil. As instituições americanas investiram 30 milhões de dólares em centros de treinamento para dar o que há de melhor aos atletas e cidadãos - discursou o empresário, que recebeu aplausos dos intercambistas e pais presentes na plateia.

Viking Graduation

O evento que contou com a presença de Bruno Octávio chama-se Viking Graduation, está em sua segunda edição e é uma espécie de formatura destinada aos jovens que embarcarão aos Estados Unidos. Após se prepararem durante meses com cursos oferecidos pela MVP, eles recebem um certificado e se desligam do programa da empresa no Brasil. Antes, porém, assistem palestras com dicas de documentação, comportamento no exterior e importância da dedicação aos estudos.

Responsável por mandar mais de 300 garotos para jogar na América, a MVP Exchange é, hoje, a principal agência de intercâmbio esportivo do país. Seu programa se diferencia por preparar os candidatos a bolsa de estudos com treinos técnicos, táticos, físicos e aulas de inglês, deixando-os próximos do perfil ideal almejado pelos times universitários americanos.

Esporte