PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Corinthians admite 'lentidão' por master, mas exalta outras ações

26/07/2018 19h36

O diretor de marketing do Corinthians. Luis Paulo Rosenberg, admitiu "lentidão" em conseguir um patrocínio master. O peito da camisa alvinegra não estampa uma marca fixa desde abril do ano passado, quando acabou o contrato com a Caixa Econômica Federal.

- Nossa principal missão na parte do marketing é a venda do uniforme, e está acontecendo com uma lentidão maior que imaginávamos, mas avançando. Temos cerca de R$ 18 milhões de receita anual no uniforme. Está faltando metade do master, porque as costas estão vendidas e estamos trabalhando na venda do peito. E isso vai completar um faturamento dos mais altos no Brasil - afirmou Rosenberg.

Atualmente, o uniforme do Corinthians estampa Positivo (costas), Universidade Brasil (ombro) Minds Idioma (manga), Foxlux (barra da camisa) e Ultra (calção).

Embora tenha admitdo lentidão pelo master, o diretor exaltou outras ações realizadas pelo clube. Veja abaixo:

Interação virtual

O Corinthians planeja a criação de uma rede social apenas para torcedores do clube, a "Facenois". Além disso, também estuda a criação de um "robô" que fará interações com os corintianos.

- Outra coisa interessante que é uma tendência é ter sua própria rede social. Chega de Facebook para corintiano, agora vai ser "Facenois". A troca de experiência entre corintianos vai estar lá. Ele vai dar conteúdo, vai dar informação, intercâmbio de informações. A outra coisa também muito moderno é o "Chefeboy", um robozinho que conversa. Você cria um corintiano virtual. você vai poder acessar e perguntar para ele: você ficou feliz com o título de 77? Vamos torná-lo o mais comunicativo possível. Onde isso existe cria um vínculo legal com o torcedor. O objetivo é criar uma nova oportunidade de se apropriar do Corinthians - disse Rosenberg.

Títulos de capitação

Outra ação estudada é o clube voltar a ter título de capitalização. Ainda está em estudo, mas a ideia é que o torcedor possa ter "vantagens emocionais".

- Estamos pensando em tester mais uma vez se há interesse em título de capitalização, mas agora mais moderno, com vantagens emocionais, como encontro de jogadores, ver um jogo no camarote do Andrés para ver como ele fica calmo na partida. Junta 20 dessas que estamos fazendo agora e dá um bom dinheiro. Mas nem só de renda se faz um clube grande. Tem que ter um zelo, que vocês sabem que é muito importante.

E-Sports e ações na Arena Corinthians

Rosenberg ainda falou de outras ações estudadas: investimento em e-games, para ele um futuro "concorrente do futebol", e fazer da Arena um "shopping center".

- Estamos fazendo de tudo para aumentar a receita na Arena. O que eu percebi depois que comecei a analisar os e-games é que isso é o futuro, vai ser um concorrente do futebol. Vamos entrar logo nisso aí. Fomos procurar um investidor, encontramos em Miami e fizemos um acordo. Pegamos uma área na Arena e apartamos para construir uma arena de games de dar água na boca. A ideia é não só ter o time do Corinthians, como tornar aquilo um "point". A Arena do Corinthians é claro que é a nossa casa, é onde a gente chora de saudades do Pacaembu mas fica feliz por ter uma casa dessa. Mas também é o ponto da zona leste. A importância que a Arena tem na zona leste é decisiva. Vamos tentar transformar a Arena em um lugar para você ter o que fazer lá em todos os dias. Vamos fazer uma academia, melhorar o número de restaurantes, estamos até procurando alguém para construir uma pista de boliche. Estamos tentando atrair, como se fosse um shopping center escondido naquela região.

Eletrônicos para o Dia das Crianças

Ainda segundo Rosenberg, o Corinthians lançará uma linha de eletrônicos para o Dia das Crianças, em 12 de outubro. O diretor falou que serão produtos com preços acessíveis, inclusive drones. Terão a logomarca do Corinthians.

Esporte