PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Após triunfo, Enderson elogia elenco "homogêneo" do Bahia

26/07/2018 09h29

O 2 a 0 diante do Cerro pela Copa Sul-Americana foi importante para a equipe do Bahia conseguir uma vantagem na competição mesmo enfrentando uma pesada sequência de jogos. E, com relação a administração do elenco, o técnico Enderson Moreira discorda de utilizar o termo "poupar" no uso do restante do elenco.

Isso porque, para ele, a proximidade de nível em todos os jogadores que hoje integram o Esquadrão de Aço não permite que essa expressão caiba na situação:

- Não é nem questão de poupar. O Léo, por exemplo, que é um jogador forte, rápido, a diferença de atuação de domingo (Ba-Vi) para hoje... hoje quando conseguiu ir (ao ataque) foi com alguma dificuldade. Às vezes o atleta não consegue dar a plenitude da sua forma e a gente prefere fazer as trocas. O grupo é muito homogêneo, não é questão de poupar, a qualidade é muito próxima. Às vezes é só o momento, um atleta é mais rápido, outro mais técnico, um tem mais imposição física, um sobe mais, outro fica mais. Temos que aproveitar o elenco porque são muitos jogos.

Sobre a questão de ter mudado o cobrador do segundo para a terceira penalidade mesmo com Régis tendo assinalado o segundo tento, o técnico esclareceu que a escolha para as batidas de sua parte é apenas parcial, ficando a escolha final com os atletas:

?

- Se o Régis perde, estaríamos discutindo porque não trocou... eu tenho três a quatro jogadores colocados na preleção como possíveis cobradores e eu não defino quem será primeiro, segundo ou terceiro, isso é uma coisa deles e eu não gosto de interferir. O Zé (Rafael) era um dos cobradores, estava confiante e infelizmente acabou errando, isso acontece com todo mundo.

Esporte