PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Mattos diz que Willian é um dos jogadores mais assediados durante janela

Daniel Vorley/AGIF
Imagem: Daniel Vorley/AGIF

25/07/2018 07h15

As propostas do Shandong Luneng (CHN) e do Pyramids FC (EGI) por Dudu e Moisés, respectivamente, foram as que mais repercutiram nos primeiros dias de janela de transferências internacionais, mas o diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, contou nesta terça-feira que um dos mais assediados foi o atacante Willian.

"O Willian foi um dos mais assediados, mais até que o Moisés. "Willian, não posso, acredita no projeto. Se abrir uma possibilidade em dezembro, quando a gente puder trabalhar uma reposição, a gente conversa". Lucas Lima foi a mesma coisa. Esse aí foi até legal. Na minha frente, ele falou: "Eu quero vencer no Palmeiras, estou feliz aqui", disse o dirigente, em entrevista ao Fox Sports.

Mattos citou seis jogadores como alvos do exterior nos primeiros dias de janela e classificou a manutenção da maior parte do elenco como "maior reforço do meio do ano". O único titular negociado foi Keno, comprado pelo Pyramids FC (EGI). Tchê Tchê, Fernando e Daniel Fuzato também saíram, além de João Pedro e Róger Guedes, que estavam emprestados a outros clubes e foram vendidos.

"Vou citar aqui porque já é público: Antônio Carlos, Lucas Lima, Moisés, Dudu, o Willian teve um assédio muito forte... O Scarpa teve propostas altas de fora, mas manteve aquilo que conversou com o Palmeiras. O Keno foi uma batalha perdida, vamos dizer assim. O Palmeiras se impôs. "É isso, isso e isso". "Não, dessa maneira não vai". A gente se viu obrigado a fazer. Estamos falando de 10 milhões de dólares à vista".

"Acho que a grande contratação do Palmeiras nesse meio do ano é fazer a manutenção quase completa do elenco. Vários jogadores sofreram algum tipo de assédio. E temos que repudiar isso. Eles vêm no clube? Vêm. Mas, não deu certo, eles atacam o jogador dizendo que vão pagar quatro, cinco, dez vezes o que ele ganha. Isso mexe com a cabeça de cada um", emendou.

O diretor de futebol abriu a possibilidade de aumentar o salário de alguns dos jogadores que recusaram propostas. Dudu, mesmo tendo recebido a maior das propostas, não será um deles. O clube já havia renovado o contrato do camisa 7 no início do ano, quando apalavrou com ele a permanência pelo menos até dezembro. Dudu ficou balançado com a oferta e tentou convencer a diretoria a desfazer esse acordo e vendê-lo, mas o Palmeiras bateu o pé.

Antônio Carlos receberá aumento quando o Verdão concretizar a compra de seus direitos econômicos. Moisés é quem está mais perto de uma reforma contratual.

"Antes da saída do Rodriguinho, esse mesmo time (Pyramids) veio no Moisés, e veio quente. O Alberto é o treinador e indicou o Moisés. Eles vieram com 6 milhões de euros, mas não liberamos. O Moisés sabe que vai ficar", disse Mattos.

O dirigente reafirmou que fez sondagens a Miranda e Bernard, mas que os jogadores não voltarão ao Brasil neste momento. Também falou que não tem condições financeiras de contratar Ricardo Goulart.

Esporte