PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Técnico nega aflição no Botafogo: "Ansiedade eu tive na guerra da Líbia"

Thiago Ribeiro/AGIF
Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Do UOL, em São Paulo

25/07/2018 16h02

Ainda invicto atuando no Nilton Santos, o Botafogo entra em campo nesta quinta-feira, contra a Chapecoense, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro, pressionado e com a necessidade de dar uma resposta positiva ao torcedor. Ciente do contexto, Marcos Paquetá foi à sala de imprensa e, na entrevista coletiva, projetou o desafio a deu uma resposta curiosa quanto à ansiedade ou não pela primeira vitória - até aqui, são dois jogos e duas derrotas pelo clube.

"Ansiedade, na verdade, eu tive na guerra na Líbia. Aqui, não. A ansiedade é de estar perto da torcida, temos que trazer o torcedor para o nosso lado. Temos que estar apoiando. Espero que eles venham. Estamos sujeitos a críticas, é natural, pedimos o apoio do torcedor", comentou Paquetá, que dirigiu a seleção líbia, cujo país passou por uma guerra civil em 2011, período em que se prepara para disputar a Copa Africana das Nações, no ano seguinte.

Além de entoar um coro por apoio do torcedor, Paquetá também comentou que uma equipe mais atenta e agressiva na marcação deve vir a campo para vencer a Chapecoense, que teve a possível postura no Nilton Santos analisada por ele.

"É um jogo diferente. Eles têm um lado que utilizam muito, é o ponto forte deles para a alçar a bola. Temos que bloquear a situação para que chegue uma bola não tão preparada. Que assim seja (Chapecoense seguir sem vencer fora de casa). Se permanecer a escrita, com o nosso time vencendo em casa, e o time deles não vencendo", comentou.

Paquetá também pediu que os números sejam mais efetivos - e não que o sublinhado, sobretudo, seja o de finalizações erradas, algo que o treinador destacou estar aprimorando no dia a dia. Por fim, lamentou ausências.

"Estamos tendo ao longo desse período muitos problemas. Pensamos em começar com um jogador e ele teve problema dentário (Luiz Fernando), outro teve problema de saúde, outro teve problema de contusão (Jefferson). Tivemos cinco, seis problemas de forma consecutiva."

O treinador não deu pistas se promoverá mudanças para esta quinta. Neste momento, o Botafogo, na 12ª colocação, soma 17 pontos, um a mais em relação à Chapecoense, que está em 14º lugar.

Esporte