PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Verdão oscila, mas pode ter em Bruno Henrique e Moisés um bom caminho

23/07/2018 08h00

Depois de três empates seguidos e as vitórias de Flamengo e São Paulo no sábado, o Palmeiras precisava vencer o Atlético-MG para não ver o líder a dez pontos. O resultado veio quase no minuto final, mas o jogo por pouco não repetiu o roteiro dos últimos vacilos no Brasileiro.

Assim como nos empates, o Verdão abriu o placar antes dos cinco minutos e teve chances para logo fazer 2 a 0. Uma bola no trave, outra finalização desperdiçada por Dudu... e os mineiros cresceram. Contra o Santos, na quinta, foi muito parecido.

As duas partidas pareciam controladas, mas este ainda é um problema do time, que ao mesmo tempo em que perde oportunidades, perde organização no decorrer da partida e se afoba, dando chances para o adversário incomodar, como aconteceu contra o Atlético-MG.

Este é um ponto a ser corrigido, já que os candidatos ao título brasileiro costumam ser times que correm poucos riscos e consequentemente são pouco vazadas. Hoje, o Verdão tem a sétima melhor defesa do campeonato, com 14 gols sofridos em 14 jogos. A marcação especialmente da intermediária para trás e pelos lados é um ponto a se melhorar.

O principal legado dessa vitória pode ser a reedição da dupla Bruno Henrique e Moisés, que já se conhece desde a Portuguesa. O camisa 10 voltou de suspensão e atuou bem, indo de uma área à outra, colaborando na marcação e no ataque - Juninho errou no seu gol, mas o meio-campista já vinha em velocidade para pressionar a saída de bola. Acabou premiado.

Já o capitão vive seu melhor momento no Palmeiras. Ele tem se notabilizado por ser o organizador no meio-campo e no domingo foi quem mais acertou passes na equipe (47). Perto da área, está também calibrado e fez um golaço de falta, além do outro que definiu a vitória, de cabeça.

A partir do jogo contra o Fluminense, Roger terá Lucas Lima de volta e precisará escolher se volta com o meia, ou se mantém o trio de volantes que jogou no domingo. Para mim, Bruno Henrique e Moisés merecem estar na escalação, independente de ter um outro marcador (Felipe Melo) ou um armador (Lucas Lima) ao lado.

Esporte