PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Derrota do Corinthians no Majestoso expõe equipe 'caindo aos pedaços'

22/07/2018 07h00

Não é exagero dizer que o jogo da última quarta-feira foi um prenúncio do que iria acontecer com o Corinthians no clássico diante do São Paulo. Apesar da vitória sobre o Botafogo, por 2 a 0, o grande destaque da partida foi o goleiro Cássio, que evitou um desastre na Arena. Aquele, definitivamente, foi um placar enganoso, rapidamente desmascarado no Morumbi com o 3 a 1 para o rival.

Se já seria difícil entrar em campo com o desfalque de três titulares que deixaram o time nesta janela de transferências, a situação piorou sabendo que mais tomaria o mesmo rumo. Dessa vez Rodriguinho recebeu proposta irrecusável para jogar no futebol do Egito. Por mais que o meia tenha pedido para jogar, o abalo já podia ser sentido.

Em campo, o que se viu foi um time com extrema dificuldade para construir jogadas no campo de ataque, tanto é que passou o primeiro tempo inteiro sem conseguir finalizar na direção do gol de Jean. O cenário foi bem parecido com o que se viu contra o Botafogo no meio de semana, com a diferença de que naquela partida o placar foi aberto cedo, com um lance diferenciado de Rodriguinho.

Não houve esse tipo de lance no Morumbi, não houve ataque, não houve um sistema ofensivo. Nesses momentos, em um passado recente, havia um sistema defensivo confiável, algo que já não é mais assim. Mesmo sem Balbuena, essa defesa passou ilesa na quarta-feira graças aos milagres de Cássio. Zagueiros, volantes e laterais não fizeram partida esplendorosa, pelo contrário, deram alguns sustos, especialmente o miolo de zaga.

E não é que isso aconteceu novamente? Fagner errou domínio, Pedro Henrique errou o tempo de bola e Henrique não acompanhou Anderson Martins, que cabeceou e Cássio não alcançou. Sequência de erros individuais, que se tornariam ainda piores quando Gabriel recuou mal de cabeça, pegou a zaga mal posicionada e obrigou o goleiro a sair (mal) do gol para novamente não alcançar a bola. 2 a 0.

A soma de fatores era muito cruel, ataque inexistente, criação ausente, marcadores irreconhecíveis, sistema defensivo dando sustos em sequência... Ufa! Pelo menos tem o Cássio... Pois é, até ele, que três dias antes teve uma de suas maiores atuações da carreira, não resistiu à superioridade são-paulina e o mau momento corintiano. Falhou também. 3 a 0.

E houve um gol de honra, de Jonathas, que teria usado o braço para ajeitar a bola em uma das três finalizações certas do Timão no jogo. O mesmo Jonathas que teve uma boa chance de gol ainda no primeiro tempo e chutou para fora, muito para fora. Típica jogada que poderia ter matado a partida no "estilo Corinthians" de vencer um duelo, como venceu o Botafogo e como parece ter sido uma exceção. A eficiência não é mais a mesma.

Diante desse cenário, a sensação que fica é a de que o Corinthians atual é um time caindo aos pedaços, perdendo peças pelo caminho, se sustentando por um fio bastante frágil e que a qualquer hora pode se romper, como se rompeu no clássico. Até mesmos os pilares, outrora infalíveis, como Cássio e o sistema defensivo, dão sinais de que será difícil o clube conseguir superar essa má fase sem grandes danos. Talvez seja o momento de encarar a realidade, olhar mais para o próprio umbigo e evitar contar com a sorte mais uma vez.

Esporte