PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Virada com gols nos acréscimos e jogo de gigantes: o dia no Euro Sub-19

19/07/2018 17h38

No terceiro dia de Europeu Sub-19 na Finlândia e na abertura da segunda rodada da competição, os jogos entre Finlândia e Noruega e Itália e Portugal foram cercados de muitos gols, emoção nos minutos finais e bons lances. Com as vitórias, a Itália disparou como líder isolada do Grupo A enquanto que a Noruega igualou os 3 pontos de Portugal.

Os dois primeiros colocados de cada grupo garantem vaga na próxima Copa do Mundo Sub-20, que será realizada na Polônia. Na próxima sexta-feira, as partidas entre Ucrânia x Inglaterra e Turquia x França marcam a segunda rodada do Grupo B.

Finlândia 2 x 3 Noruega

Finlândia: Leislahti; Virtanen, Tikkanen, Vesiaho, Jäntti; Mattsson (Heinolainen), Mohamed (Fagerström), Oksanen,Stavitski; Ylätupa (Bradley), Vertainen

Noruega: Faye Lund; Borchgrevink, Salte, Ostigard, Kitolano; Vetlesen (Brynhildsen), Borkeeiet, Christensen, Hauge (Botheim); Markovic (Nordli), Haland

A Noruega começou forte no ataque, trazendo dificuldades para a Finlândia jogar. Ainda com 10 minutos, Hauge aproveitou o rebote após uma defesa de Leislahti após um chute de Markovic da entrada da área. Ainda no primeiro tempo, a Finlândia cresceu na partida e Borchgrevink puxou Vertainen após uma cobrança de escanteio e o camisa 9 empatou o jogo para os anfitriões na batida de pênalti.

Em uma partida equilibrada em todos os sentidos, a atuação de Abukar Mohamed foi essencial para o domínio da Finlândia na região do meio-campo. Ajudando na marcação e na criação, o camisa 6 se mostrou como um verdadeiro meia central que oferece muita energia à sua equipe.

Melhor na partida, a Finlândia virou o placar aos sete minutos em uma incrível jogada de Mohamed no meio-campo, deixando seu marcador para trás com um drible de 'meia-lua' e tocando em profundidade para Ylätupa dominar e, com espaço, avançar com velocidade para driblar o goleiro e apenas completar para o fundo das redes.

Quando tudo parecia perdido, a Noruega conseguiu virar o placar de uma forma heroica: primeiro, aos 44 minutos, quando Borkeeiet cruzou da direita e achou Botheim livre dentro da área, que cabeceou e empatou a partida. Dois minutos depois, após uma cobrança de falta e confusão na área, a bola sobrou para Borkeeiet virar a partida.

Portugal 2 x 3 Itália

Portugal: Diogo Costa; Thierry Correia, Diogo Queirós, Correia, Rúben Vinagre; Florentino, Domingos Quina, Miguel Luís (Moura); João Filipe (Carmo), José Gomes (Dju), Trincão

Itália: Plizzari; Bellanova, Bettella, Zanandrea, Tripaldelli; Marcucci, Frattesi, Melegoni (Tonali); Brignola; Moise Kean (Zaniolo), Capone (Scamacca)

A Itália, com muitas mudanças em relação ao primeiro jogo, viu Portugal iniciar a partida em uma intensidade maior, vencendo a maioria dos duelos no meio-campo e tentando atacar mais. Aos 8 minutos, em um rápido contra-ataque italiano, Moise Kean saiu em velocidade e foi parado apenas por uma falta de Diogo Queirós, capital da equipe lusitana, que acabou sendo expulso, já que era o último homem da defesa.

Com a superioridade numérica, a Itália melhorou na partida. Com intensa moviementação dos atletas de lado de campo e uma organização de jogo que passava quase sempre nos pés de Brignola, os italianos criaram a primeira grande chance da partida aos 22 minutos, quando, após uma cobrança de falta, Moise Kean se antecipou ao goleiro, tocou primeiro na bola, mas viu Correia afastá-la em cima da linha.

No começo do segundo tempo, a Itália, apesar da falta de criatividade na parte final das jogadas, finalmente conseguiu abrir o placar: Fratessi avançou com a bola pelo lado esquerdo do campo e tocou para Capone nas costas do lateral Thierry Correia para o camisa 10 finalizar com uma batida em diagonal, que acertou a lateral das redes.

Apesar de estar com um jogador a menos, Portugal não se deu por vencida e, mesmo com a superiodade numérica italiana, tentava atacar. Aos 25 minutos, os lusiantos empataram o duelo com uma 'pitada de sorte', já que, após um cruzamento de Thierry Correia, Miguel Luís cabeceou, a bola desviou em Bellanova e entrou.

A Azzura, porém, não sentiu o gol marcado pelos portugueses e, oito minutos depois, voltou a ter a vantagem no placar. Bellanova se redimiu com um cruzamento milimétrico para Scamacca, que cabeceou sem chances de defesa para o goleiro Diogo Costa. Alguns minutos depois, a Itália aumentaria sua vantagem após um chute de Fratessi, que desviou na defesa, entrar.

Sem desistir, mesmo com inúmeras desvantagens, Portugal trouxe um tom dramático ao jogo aos 44 minutos, quando Domingos Quina acertar um chute de rara felicidade, no ângulo de Plizzari, após Trincão brigar em termos físicos com os zagueiros italianos. Apesar de uma pressão nos minutos restantes, os lusos não conseguiram empatar e o triunfo foi italiano.

Esporte