PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Bahia saí na frente, mas cede ao empate da Chape na Arena Condá

19/07/2018 21h28

Noite de expectativas quebradas na Arena Condá. Nesta quarta-feira, Chapecoense e Bahia entraram em campo precisando da vitória, mas protagonizaram um jogo truncado, que terminou com o empate em 1 a 1, resultado ruim para os dois lados.

Com o placar, a Chapecoense continua na 14ª colocação, com os mesmos 15 pontos do Fluminense, último time na zona de classificação para a Sul-Americana. Por outro lado, o Bahia, que desperdiçou a chance de vencer a primeira partida fora de casa e garantir um triunfo inédito sobre os catarinenses, segue na amarga zona de rebaixamento, com 13 pontos.

Bahia domina perigo na etapa inicial

A Chapecoense saiu com a bola, mas o Bahia não demorou para mostrar que seria um adversário complicado. Dependendo da vitória para deixar a zona de rebaixamento, o Tricolor dominou as primeiras jogadas perigosas da partida enquanto a Chapecoense, atrapalhada pelos erros, poucas vezes se aproximou da meta de Anderson.

Zé Rafael leva perigo ao gol da Chape

Na melhor chance catarinense, Wellington Paulista arrancou pela direita e cruzou na área para Bruno Silva, mas o meia não chegou a tempo. Como resposta, o Bahia, que já havia exigido Jandrei em chute de Zé Rafael, voltou a assustar com o camisa 10, que desperdiçou falta próxima da área, mas recuperou na sobra e quase encobriu o arqueiro alviverde, que subiu para segurar a bola, concluindo uma grande defesa.

Chapecoense se concentra na defesa

Em noite apagada para os meias da Chapecoense, o time manteve a dificuldade para criar jogadas na etapa inicial e não encontrou outra alternativa senão voltar o jogo para o setor defensivo, enquanto o Bahia manteve a movimentação em busca de espaços. O desespero em não levar gols por pouco não deixou os catarinenses em maus lençóis quando Gilberto driblou Thyere e entrou em velocidade na grande área, sendo derrubado por Jandrei. Enfurecidos, os jogadores do Bahia pediram pênalti, mas a arbitragem mandou seguir.

Quatro atacantes em campo

Após ver o Bahia dominar o primeiro tempo, a Chapecoense voltou com três atacantes para a etapa final e, apesar de ter gerado um certo equilibrio nos primeiros minutos de bola rolando, logo mostrou dificuldade para bloquear os avanços do rival. Pressionado pela torcida, Gilson Kleina provomeu a entrada de Osman na vaga de Bruno Silva, mas diante de atuações travadas, o máximo que o camisa 77 conseguiu foi dar um pouco de velocidade ao jogo.

Final truncado

Apesar de ter segurado mais a posse de bola, a Chapecoense continuou sem criar jogadas perigosas e teve sua melhor chance quando Wellington Paulista rececebeu cruzamento de Eduardo e cabeceou forte no chão, mas Anderson concluiu a defesa em dois tempos. Tudo indicava para uma noite sem perigo, até que Elton invadiu a linha de fundo e cruzou a bola dentro da grande área para Gilberto subir mais que todo mundo e carimbar o fundo das redes com gol de cabeça aos 33 minutos.

Reviravolta

Quando o Bahia já comemorava o fim do jejum de quatro jogos sem vitória, a Chapecoense despertou na partida. Em disparada, Eduardo deixou os marcadores do bahia para trás e fez um belo lançamento para Osman, que garantiu o empate para os donos da casa aos 39 minutos.

Próximos compromissos

Pelo Campeonato Brasileiro, a Chapecoense volta aos gramados no próximo domingo, quando recebe o Santos, ás 19h, na Arena Condá. No mesmo dia, o Bahia tem a difícil missão de enfrentar o Vitória no clássico Ba-Vi, que acontece às 16h, na Arena Fonte Nova, em Salvador.

Esporte