PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Como o Palmeiras se fechou para fazer história dentro da Bombonera

Lucas Lima comemora segundo gol do Palmeiras contra o Boca - AFP PHOTO / JUAN MABROMATA
Lucas Lima comemora segundo gol do Palmeiras contra o Boca Imagem: AFP PHOTO / JUAN MABROMATA

26/04/2018 07h00

O Palmeiras chegou a Buenos Aires sem entender o que estava acontecendo: alguns torcedores receberam a delegação em tom de cobrança, especialmente em cima de Dudu. As críticas sobre o capitão serviram de combustível para que o time conseguisse fazer história na Bombonera, com a vitória por 2 a 0 sobre o Boca Juniors. O Verdão agora é o único estrangeiro a bater os argentinos na Libertadores, em sua casa, por dois gols de diferença.

Dentro da concentração, todos trataram de proteger o camisa 7. Pessoas no clube apostavam que o incidente poderia unir ainda mais o grupo - e vieram demonstrações disso. Após o jogo, por exemplo, Moisés publicou foto de uma confraternização com boa parte do elenco com a seguinte legenda: "vencemos juntos, empatamos juntos e quando perdemos também estamos juntos. Seguimos com os pés no chão!".

Felipe Melo, que na terça havia conversado com um dos protestantes, disse que os atos contra o atacante acabaram tendo, de fato, repercussão no elenco.

"(Dudu) É o nosso capitão. Quando você, entre aspas, falta respeito com nosso capitão, falta respeito com todo o elenco. Foi um momento bem pacífico quando falei com o torcedor. Já que tínhamos um jogo tão importante, que não era momento de criticar, ainda mais nosso capitão, que tem uma história bonita aqui dentro", explicou o camisa 30.

Alexandre Mattos também foi até os jornalistas para falar em favor do capitão, quem disse ser um 'puta cara'. Jailson na sequência brincou com Dudu, que não conseguiu esconder a timidez diante dos atos públicos a seu favor. Campeão da Copa do Brasil e do Brasileiro e no clube desde 2015, o camisa 7 goza de grande prestígio dentro da Academia de Futebol.

"A gente sabe o carinho que todos têm por mim, né. Não só o Alexandre, o presidente... 98% da torcida gosta de mim e sabe que tenho carinho pelo clube. Tenho certeza que vou ficar muito tempo aqui, sempre batalhando", acrescentou Dudu.

A boa atuação que deu a classificação antecipada às oitavas de final da Libertadores trouxe marcas históricas: foi a primeira vitória do Palmeiras na Bombonera, e a primeira derrota do Boca por dois gols de diferença na Libertadores desde 1966, para o também argentino Independiente. Agora, o Verdão é também o clube brasileiro que mais vezes venceu como visitante na competição: 30 vezes.

Com o ambiente mais leve, houve tempo até para comemorar o aniversário de 43 anos de Roger Machado. Os jogadores deram banho de água gelada e brincaram com o treinador. Classificado com duas rodadas de antecedência, o Verdão volta ao Brasil tranquilo e fortalecido.

Esporte