PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Resultado contra o CRB pode definir futuro de Dorival Júnior no São Paulo

26/02/2018 06h35

O técnico Dorival Júnior segue balançando no cargo de treinador do São Paulo. Embora tenha sido mantido no comando do clube do Morumbi após o empate sem gols com a Ferroviária, o comandante não está em uma situação tranquila. A diretoria está descontente com o trabalho de Dorival e o resultado diante do CRB, de Alagoas, na próxima quarta (28), pode ser determinante para o futuro do líder da comissão técnica.

Pelo jogo de ida da terceira fase da competição nacional, uma derrota ou até mesmo um empate perante o CRB (clube que disputa a Série B do Brasileirão), jogando em casa, será visto como uma grande fracasso. Caso isso venha a acontecer, a demissão não está descartada.

Os três jogos sem vitória (derrotas para Santos e Ituano, e empate com a Ferroviária), somados ao rendimento abaixo do esperado, colocam muita pressão no treinador. Mesmo assim, de acordo com o que foi apurado pela reportagem, Dorival deve comandar a equipe no meio da semana.

Terminada a partida do último domingo (25), a diretoria não cobrou Dorival Júnior e nem sequer se reuniu para debater uma possível demissão. Após o jogo, os atletas - visivelmente abalados pelo resultado negativo em casa - jantaram no vestiário e deram apoio ao comandante.

- Aqui ninguém vai fugir. A culpa não é só do Dorival. Se você faz um gol, o jogo muda totalmente o panorama. Às vezes, a bola não entra. Tem que ter paciência. Superamos isso ano passado. O ano está só começando. Não queremos prorrogar isso. Temos um grupo muito determinado, posso garantir isso a vocês. Existe uma pressão. O São Paulo precisa ser campeão logo para assentar a poeira, cravou o capitão Petros.

Nesta segunda (26), na reapresentação do elenco Tricolor no CT da Barra Funda, haverá uma reunião entre diretoria e comissão técnica. Os encontros são rotineiros no clube após os jogos e o treinador certamente ouvirá questionamentos por conta da fase ruim da equipe no Paulistão.

Importante ressaltar que, embora seja o líder do Grupo B do estadual com 11 pontos ganhos em 27 disputados, o São Paulo está a apenas três da zona de rebaixamento (o Santo André é o primeiro na degola, com 8). Os três jogos sem vitória preocupam bastante os tricolores e a classificação da equipe para a fase quartas de final do torneio está sob perigo.

- Não vejo uma situação assustadora. O número de pontos é baixíssimo e sou o principal responsável, disse o treinador após o empate com a Ferroviária.

Esporte