PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Holanda quebra marca mundial na patinação mas fica em 3º lugar

20/02/2018 17h26

Os Jogos de Inverno de PyeongChang, na Coreia do Sul, estão dando o que falar. Nesta terça-feira, por exemplo, ocorreu um fato inusitado na final dos 500m da patinação em velocidade por equipes. O time da Holanda, por exemplo, quebrou o recorde mundial e olímpico desta prova com o tempo de 4m03s47, mas ficou apenas com o bronze, já que a Coreia do Sul (4m07s61) e a Itália (4m15s61) garantiram ouro e prata. E olha que as holandesas festejaram muito a conquista.

A história é a seguinte: na patinação existe a final A e B. A Holanda não se classificou para a final A e teve de se contentar em disputar do quinto ao oitavo lugares. Nesta prova, a equipe holandesa mandou ver. Sem pressão, ficou na frente, conseguindo recorde olímpico e mundial.

Veio a final A. Numa final apertadíssima, a Coreia do Sul ficou na frente da China, com o Canadá em terceiro e a Itália muito atrás em quarto. Porém, quando veio a confirmação dos tempos, os juízes desclassificaram a China, por terem fechado os rivais em uma das voltas, e o Canadá, por um erro infantil: a troca de revezamento é feita com a atleta tocando a rival que a substituirá e uma das canadenses não fez isso. Assim, a Itália herdou a prata e a Holanda, a quinta colocada, ficou com o bronze.

A azarada

A inglesa Elise Christie, favorita nas provas de patinação de velocidade em pistas curtas, se despediu de PyeongChang machucada e sem medalhas. Depois de cair nas final dos 500 metros e nas Eliminatórias dos 1500 metros, ontem ela foi mal nos 1000 metros. Nas eliminatórias, escorregou na largada e se machucou. Mas retornou e conseguiu vencer a sua bateria. Porém, foi eliminada por ter atrapalhado uma rival. Favorita em PyeongChang, sai sem medalha. Periga entrar na história como a azarada do gelo.

Brasil na pista

A brasileira Isadora Willians se apresenta nesta terça-feira, às 23h (de Brasília), na patinação artística (individual feminino).

Esporte