PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Dedé comemora espaço na lista de relacionados de Mano Menezes

18/02/2018 16h52

O zagueiro Dedé foi relacionado para a partida do Cruzeiro contra o Villa Nova, no sábado, pela primeira vez no ano. Recuperado de um edema ósseo, o jogador viveu a expectativa de entrar em campo com a camisa cruzeirense, mas acabou ficando no banco de reservas. A Raposa venceu o Villa, por 1 a 0, no Mineirão, pela sétima rodada do Campeonato Mineiro.

Mesmo sem jogar, a alegria e a satisfação estavam estampados na cara de Dedé após o jogo. A felicidade não é atoa, afinal são nove meses que o defensor não fazia parte da lista do treinador.

- Muita calma nessa hora. Nem pensei nisso (entrar em campo). Estava feliz e empolgado, em um estado de extrema felicidade, que a gente fica até meio cego. Estamos preparados sempre, somos profissionais, mas contente de estar ali com os meus companheiros - enfatizou Dedé.

O zagueiro também aproveitou para agradecer ao departamento médico do Cruzeiro e a comissão técnica, pela oportunidade e confiança.

- Esse ambiente é um que o jogador espera na carreira. Ficar parado é ruim, a gente fica apreensivo na fisioterapia, mas graças a Deus estou muito bem. Bonito assistir o Mineirão lotado dentro de campo. Estou satisfeito por tudo que vem acontecendo e muito feliz. Tenho que exaltar também a comissão técnica, por ter me segurado também. A gente trabalha e se sente bem, mas não sabemos a visão deles. Eles são profissionais, tem a melhor visão e esperaram o momento para eu vir. Estou feliz, vou continuar trabalhando agora para buscar uma posição melhor, mas satisfeitíssimo por ter voltado e pelo jogo, pela vitória. O time está embalado e agora vamos que vamos. Quando tiver oportunidade, vou estar preparado para fazer o meu papel - ressaltou o defensor.

Dedé revelou que espera voltar a brigar pela titularidade. O zagueiro se mostrou paciente para reconquistar a posição na equipe de Mano Menezes.

- Nunca tive medo. Voltei depois de um ano e não tive medo. Nunca tive medo de botar o pé, de cabecear. Graças a Deus, sobre isso eu tenho um controle emocional muito grande. O treinador trabalha sobre isso, se tivesse esse receio não estaria 100%. Me considero 100% em todos os sentidos. Agora é trabalhar, porque a concorrência está grandíssima, todo mundo fazendo seu papel em alto nível e vou esperar minha oportunidade para jogar em alto nível - completou o jogador.

O Cruzeiro volta a jogar no próximo sábado, no Mineirão, às 16h30. O adversário da vez é o Boa Esporte.

Esporte