PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Após saída do Atlético-PR, Fabiano Soares deseja seguir no Brasil

16/02/2018 19h06

Depois de optar por não dar sequência ao seu primeiro projeto como treinador no futebol brasileiro, quando dirigiu o Atlético-PR em 2017 na classificação do clube à Copa Sul-Americana deste ano, Fabiano Soares está à espera de uma nova oportunidade. Desde o início do temporada na Espanha, país onde se formou técnico de futebol profissional licenciado pela UEFA e tem sua residência fixa, Fabiano deve retornar ao Brasil no fim deste mês.

Apesar do bom trabalho desenvolvido no clube paranaense, quando tirou a equipe da zona de rebaixamento, apresentou bom futebol no Brasileirão e na Libertadores e ainda classificou o clube à Sul-Americana, Fabiano Soares explica os motivos que levaram a sua saída e garante retornar ao futebol brasileiro, de preferência ainda no início do ano.

- Minha intenção é logicamente seguir trabalhando no Brasil. Dei início a um projeto, peguei uma equipe na zona de rebaixamento, levamos à Copa Sul-Americana e infelizmente não segui no Atlético porque a pessoa que tinha me levado, o Autuori, não ia seguir e eticamente não era correto eu seguir sem ele. Logicamente a minha intenção é seguir no Brasil, conseguir pegar uma equipe no começo do campeonato, desde o início e fazer o meu trabalho e mostrar minha capacidade - explicou.

Último treinador brasileiro a frequentar a elite do futebol europeu e um dos únicos profissionais com as três licenças exigidas pela UEFA, Fabiano Soares passou quase sete anos no Estoril, de Portugal, onde foi campeão da Segunda Divisão e ainda levou o clube à disputa da Liga Europa na temporada 2013/2014. Mesmo com boa impressão deixada no Atlético-PR, com projeto iniciado praticamente na metade da temporada, o técnico busca um clube ainda neste início de ano para elevar os números.

- Ano passado acho que iniciamos um grande trabalho no Atlético, mas seria importante ter uma equipe ainda no começo da temporada porque logicamente o trabalho seria muito melhor, com muito mais qualidade. Apesar do bom trabalho nos quase cinco meses em que fiquei no Atlético, o treinador precisa de tempo para ter suas ideias assimiladas - completou.

Esporte