PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Com Lucas Lima, Moisés pensa em jogar mais recuado: 'Eu prefiro'

30/11/2017 15h50

Moisés não encara a chegada de Lucas Lima ao Palmeiras como um problema. Para o camisa 10, o ex-santista não será exatamente um concorrente na briga pela titularidade. Ele acredita que, com o novo colega em campo, poderá jogar mais recuado, como prefere.

- Eu, particularmente, não tenho problema nenhum (com a chegada de Lucas Lima). Eu jogo também como meia, mas a função que eu prefiro, onde me sinto mais à vontade, onde eu acho que meu futebol mais cresce, é como segundo volante ou até primeiro. Para mim, não vai ter problema nenhum. Ele vai ser recebido da melhor forma - disse.

Lucas Lima avisou ao Santos nesta quarta-feira que jogará no Palmeiras, onde terá um contrato válido por cinco temporadas. Em seu auge no clube da Vila Belmiro, ele se acostumou a provocar o Verdão pelas redes sociais. Todos os jogadores do clube que se manifestaram sobre isso minimizaram o passado.

- Para mim, todo jogador de qualidade que chegar vai ser muito bem recebido. Eu quero o Palmeiras forte. É mais um jogador que vai disputar posição. É um meia diferente, com qualidade muito grande - opinou Moisés.

Moisés superou uma grave lesão no joelho esquerdo, sofrida no início do ano, e conseguiu disputar 21 jogos em 2017. Apesar de ter bons momentos, como no jogo contra o Barcelona de Guayaquil (ECU), em agosto, pela Libertadores, não repetiu o desempenho do ano passado. Nas últimas partidas, atuando mais avançado, como um armador de ofício, tem ouvido algumas críticas da arquibancada. O jogador faz uma auto-crítica:

- Como todos sabem, quando você volta de uma lesão dessas, é difícil ter aquele ritmo de novo. Eu não antecipei nada, mas não consegui fazer jogos-treinos, não consegui fazer amistosos, já entrei na competição. Isso acaba fazendo você oscilar, mas eu acredito que consegui ir bem em uma média geral. Fiz 21 jogos, o que prova que já estou recuperado. Mas ritmo de jogo, questão de evolução, fico devendo um pouco. Mas ano que vem está aí e vou voltar muito bem - disse ele, que entende as cobranças.

- Eu não fujo das cobranças, porque sempre falei que sou meio-campista e jogo em todas essas posições. Quando eu jogo ali (mais avançado), tenho que render mais. Eu gosto, sim, de jogar um pouco mais recuado. É onde eu cresço, consigo ajudar mais a equipe, mas não tem desculpa. Quando eu atuo mais à frente, tenho que render mais.

O Palmeiras encerra sua temporada no domingo, contra o Atlético-PR, em Curitiba. O jogo será às 17h.

Esporte