PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Ainda sem futuro definido, Valentim diz em que o Verdão já tem sua cara

18/11/2017 07h00

Com mais três jogos a realizar no Brasileiro, Alberto Valentim ainda não sabe se será efetivado em 2018 no Palmeiras. Enquanto aguarda o chamado da diretoria, o atual técnico considera que o time já está ganhando um estilo que lhe agrada. As estatísticas da equipe sob seu comando, ao se comparar com as de Cuca, o favorecem.

Em oito jogos com Valentim, o Verdão troca mais passes e com menos erros (434 passes por partida, com quase 89% de acerto) do que durante os 27 jogos com Cuca (354 passes por partida, com perto de 88% de acerto).

O time está chutando mais (14 vezes por jogo, contra 12,5 com o técnico campeão brasileiro) e com mais direção (6,5 tiros certos por jogo, contra 4,4 com Cuca). Consequentemente, a média de gols subiu, de 1,37 por partida, para 2,5 por partida com Alberto Valentim.

Se com a antiga comissão técnica o Palmeiras tinha um dos melhores ataques do Brasileiro, agora consolidou-se como o melhor - e com folga: são 58 gols em 35 jogos. O Grêmio é o segundo no quesito, com 51 gols.

O problema durante toda campanha tem sido a defesa. São 40 gols sofridos, pior marca entre os sete times que estão na zona de Libertadores. Mesmo com Valentim, que tem cuidado especial com o setor, a equipe foi criticada por jogar com a primeira linha de jogadores muito adiantada, como no Dérbi. Para o técnico, este problema foi corrigido.

- Estamos vendo uma defesa organizada, que tem uma compactação muito boa. Se falou um pouquinho de linha alta, mas não estamos mais expostos. É só manter sempre uma distância que a gente ache em todas as alturas do campo. E estão obedecendo isso. Temos de melhorar na fase defensiva muito ainda, na ofensiva também, mas os jogadores compraram a ideia, estão assimilando bem - pontuou o treinador.

Desde que Mano Menezes renovou com o Cruzeiro, Alberto tornou-se o favorito a comandar o Palmeiras em 2018. Mas as derrotas para Corinthians e Vitória deixaram dúvidas em pessoas ligadas à diretoria, tanto que nomes como Roger Machado, que já foi alvo no fim de 2016, e Abel Braga são citados nos bastidores. Oficialmente, Maurício Galiotte e Alexandre Mattos só dizem que tudo está sendo avaliado para que a decisão seja tomada em dezembro.

Alberto, enquanto isso, aguarda. Com a vaga garantida na fase de grupos da Libertadores, o técnico colocou como meta acabar o Brasileiro em segundo lugar - atualmente é o terceiro, só a um ponto do Grêmio. Tendo mais tempo para trabalhar (quem sabe um ano inteiro?), ele considera ser possível ter mais resultados.

- Tem que lembrar que foram só duas semanas cheias, mas vi uma evolução grande do que eu gosto do que vemos de uma equipe organizada - comemorou o treinador, que em oito jogos nesta passagem venceu cinco, empatou um e perdeu dois.

Esporte