PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Corinthians não reage e até 11 ideal decepciona: como 'conto de fadas' ruiu

30/10/2017 06h45

A histórica e irretocável campanha do Corinthians no primeiro turno do Brasileirão dava mostras de que a edição de 2017 já estava bem encaminhada - prova disso foram os torcedores que gritaram "é campeão" após a vitória contra a Chapecoense, em jogo remarcado da 20ª rodada. A vantagem na liderança, que naquele momento era de dez pontos, agora pode ser reduzida a três, e a campanha digna de "conto de fadas" virou coisa do passado.

Além dos números inferiores em relação a vitórias e gols marcados, o Timão do segundo turno ainda determinou o fim de uma estatística que dava orgulho na temporada: a invencibilidade da escalação que é considerada ideal pelo técnico Fábio Carille desde a conquista do Paulistão. Diante da Ponte Preta, o time foi derrotado por 1 a 0 em seu 13º compromisso (antes eram sete vitórias e cinco empates) e perdeu uma nova marca.

O resultado obtido no estádio Moisés Lucarelli também confirma um estigma da campanha corintiana no Brasileirão, torneio em que não virou nenhum placar. Em todas as suas 17 vitórias, o Timão saiu na frente e só assim conseguiu terminar somando ps três pontos.

Além disso, houve dois jogos em que a equipe saiu na frente e cedeu empates (Chapecoense e Flamengo) e, nos outros 11 jogos, foram seis derrotas (Vitória, Atlético-GO, Santos, Bahia, Botafogo e Ponte), ou seja, duelos em que o time saiu atrás e não reagiu, três empates sem gols (Coritiba, Avaí e Grêmio) e mais três empates em que o Timão até reagiu, mas não conseguiu virar o placar definitivamente: 2 a 2 com o Atlético-PR e 1 a 1 diante de São Paulo e Cruzeiro.

- No primeiro turno só saímos atrás do Atlético-PR. Mas agora não estamos tendo a felicidade de sair com o placar à frente ou até mesmo seguir o jogo com uma situação de empate. Com isso estamos dando muitas vezes a arma que o adversário quer - admite o técnico corintiano, Fábio Carille.

Sem poder de reação, o Corinthians é um dos quatro piores times do segundo turno do Brasileirão, com rendimento superior apenas a Ponte Preta, Coritiba e Sport. São 59 pontos somados e 63,4% de aproveitamento após 31 partidas.

Esporte