PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Reeleição de Del Nero 'é caminho natural das coisas', diz diretor da CBF

22/08/2017 07h25

O diretor executivo de gestão da CBF, Rogério Caboclo, abriu as portas do escritório dele na sede da entidade para falar sobre os rumos da confederação. Embora diga que não se envolve nos assuntos políticos da organização que comanda o futebol brasileiro, Caboclo vê a reeleição do presidente Marco Polo Del Nero como algo praticamente inevitável.

- Acho que ele se credenciou para isso. Portanto, o caminho natural da coisas é esse - disse Caboclo.

Neste trecho da entrevista ao LANCE!, ele fala sobre a situação política da CBF e a relação com Del Nero, de quem tem muita confiança desde os tempos de Federação Paulista. Vale lembrar que Caboclo foi diretor financeiro da CBF antes de ganhar o cargo com a nomenclatura de diretor executivo de gestão.

O quanto você se envolve na parte política da CBF?

A parte política é uma prerrogativa do presidente da CBF. Ele cuida da política, é merecedor dos votos que teve e tem até hoje. É uma missão dele.

Vocês têm a noção de que a imagem da CBF não ficará completamente positiva até a resolução do processo nos Estados Unidos? Mesmo que o presidente Del Nero não esteja preso...

Temos a consciência tranquila que, tudo aquilo de transparência que a CBF devia e deve fazer, está sendo feito rigorosamente. A CBF, como entidade, não faz parte de nenhum tipo de acusação. Isso nos dá tranquilidade para trabalhar e esperar a conclusão dos fatos. É importante que, tanto a Conmebol quanto a Fifa, encerraram as apurações que deviam fazer. Sabemos que isso foi endereçado à Justiça para que as decisões sejam tomas. Quanto a isso, a CBF está tranquila.

A CBF é uma grande vidraça, alvo de muitas pedras. O quanto vocês se preocupam com a imagem?

A CBF tem o ônus de ser a grande entidade do futebol no país mais apaixonado pelo futebol no mundo, e que mais acompanha o futebol. Nosso desafio é agir com mais transparência, com mais resultados financeiro, diminuindo custos e em novos projetos que orbitam no futebol.

Mas ele já falou aos diretores que mais alguns anos de trabalho na CBF virão pela frente?

Para a diretoria, o presidente fala mais das questões administrativas do que política. Ele coordena bem e conduz a política.

O quanto Del Nero é exigente?

Algumas pessoas que não conhecem o Marco Polo não sabem o homem elegante e cordial que é. Ao mesmo tempo, é um gestor duro, que cobra resultados. Ele sempre reúne os diretores e coloca em pauta os assuntos que entende ter prioridade para decisão. Ele procura ter uma visão multidisciplinar, até para que possa formar o juízo dele e tomar as decisões. Percebo que ele está satisfeito até o dia de ontem. E sempre querendo melhores resultados a partir de amanhã. Então, tem que ser rápido.

Falando sobre federações, como a CBF encara o inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal por causa da denúncia de que a assembleia geral que alterou o estatuto, mudando o colégio eleitoral, foi irregular?

A assembleia geral respeitou rigorosamente a todos os ditames da CBF e da legislação vigente. Temos total tranquilidade. Sempre que acionada, a CBF fez o devido esclarecimento. Mas não houve um questionamento depois de explicado, para aqueles que entenderam que algum esclarecimento deveria ser feito.

Esporte