Fábio Santos vê injustiça com veteranos no Corinthians: 'Ficávamos chateados'

O ex-lateral esquerdo Fábio Santos, que recentemente se aposentou dos gramados, avaliou a temporada do Corinthians, que ficou marcada pela constante troca de técnicos e a ausência de títulos. Fábio viu com injustiça alguns comentários feitos contra os jogadores veteranos do elenco, na linha de que eles formavam uma "panela" e tinham muito poder dentro do clube.

"Ficávamos chateados de escutar que os mais velhos decidiam as coisas no clube. Isso é mentira. Só tem cara do bem ali, Cássio não faz mal para uma mosca, não se escuta a voz dele. Gil também, não se escuta a voz dele, Fagner é gente finíssima. A gente ficava chateado, nunca fizemos nada para atrapalhar o clube, nunca nos achamos maior que o clube, que o torcedor", comentou em entrevista ao Podpah.

O ex-defensor, também, classificou a próxima temporada do Corinthians como "incógnita". Sob nova diretoria, a equipe passará por uma reformulação, com saídas e chegadas de jogadores.

Fábio, que disputou 55 jogos ao longo de 2023, entende que o time precisa de uma nova composição, mas acredita que é importante a permanência de jogadores que entendam o que significa jogar no clube.

"O ano de 2024 é uma incógnita, mudou a diretoria, não sabemos o que vai acontecer, não conheço o novo presidente, novo diretor... Pior que esse ano vai ser difícil. Essa reformulação era necessária, de jogadores... Uma nova composição, talvez. Trazer peças novas. Mas seria importante também ter jogadores para passar mensagem aos novos, porque o Corinthians é diferente. E não sei se quem vai ficar vai conseguir fazer isso. Torço para que sim, para que apareçam novos jogadores com esse papel", comentou Fábio ao Podpah.

"O ano pediu isso (troca de técnicos). A ideia do Duilio não era essa. O time não encaixava, corremos risco sério no Brasileiro. Time grande quando está lá embaixo, para sair é uma luta do caramba. Um Corinthians na zona de rebaixamento, para sair... não sai. E começa a dar tudo errado. Foi um ano complicado, os mais velhos sofreram, apanharam mais. A gente tinha essa lacuna no elenco, de jogadores de 25 a 30 anos. A gente assumiu essa condição", complementou o ex-lateral.

Para o futuro, Fábio ainda não definiu qual área vai seguir. O foco do ídolo do Timão neste momento é aproveitar as férias, mas já estuda setores em que pode atuar em breve.

"Sempre me vi na área técnica, dentro do campo. Não como treinador, porque sou bonzinho demais para isso. Mas como auxiliar, talvez... Agora está muito recente, quero ficar mais com a família. Tem área da gestão, técnica, comunicação... Vou me preparar nessas áreas e não me precipitar na escolha", finalizou.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes