Receita do Santos deve ter queda brusca com rebaixamento à Série B; veja detalhes

O rebaixamento do Santos para a Série B do Campeonato Brasileiro deve ter um grande impacto financeiro. A tendência é que as receitas do clube sofram uma queda brusca, especialmente por conta das cotas de televisão.

Segundo estudo levantado pela Sportsvalue, o Peixe arrecadou R$ 145 milhões com direitos de transmissão em 2022. A tendência é que este valor caia para R$ 55 milhões em 2024.

Este número, aliás, já vem em queda. Em 2021, o montante oriundo de TV foi de R$ 219, ou seja, uma variação de -34%.

A Sportsvalue usa o Grêmio como um exemplo. O Tricolor caiu para a Série B em 2021 e viu os valores de direitos de transmissão caírem de R$ 207 milhões para R$ 89.

O clube gaúcho, no entanto, conseguiu manter um equilíbrio nas contas devido ao acréscimo de outras receitas, como marketing.  O time subiu para a Série A e ficou com o vice-campeonato neste ano, ficando apenas atrás do Palmeiras.

O Santos, portanto, terá que correr atrás de outros meios para não ver as suas contas piorarem ainda mais. Atualmente, a dívida é de cerca de R$ 800 milhões.

A equipe não irá disputar a Copa do Brasil em 2024 e não terá nenhuma competição internacional. Ano que vem, o Santos jogará apenas o Campeonato Paulista e a Série B.

Continua após a publicidade

A folha salarial, inclusive, também é uma preocupação. No terceiro trimestre de 2023, houve um aumento de 10,53% na folha salarial do clube (com encargos) em relação ao que foi gasto no trimestre anterior.

Neste sábado, os sócios decidem quem será o novo presidente do Santos. Caberá ao eleito tentar salvar o clube das dívidas.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes