Vila Belmiro é invadida um dia após rebaixamento do Santos no Brasileirão

O rebaixamento do Santos para a Série B do Campeonato Brasileiro segue gerando vandalismo. Nesta quinta-feira, a Vila Belmiro foi invadida por cerca de 20 pessoas.

Os torcedores entraram no estádio pelo portão 16, que é utilizado por funcionários do clube no dia a dia. O grupo estava em busca de algum membro da diretoria e subiu até o andar onde fica a sala do presidente Andres Rueda, que não estava presente no local.

Os santistas pediram para que os funcionários que estavam trabalhando no prédio se retirassem. A Polícia Militar foi chamada para conter os invasores.

A informação foi inicialmente divulgada pelo GE e confirmada pela Gazeta Esportiva.

O clima de tensão na Vila Belmiro começou na noite desta quarta-feira, após o Santos perder por 2 a 1 para o Fortaleza, pela 38ª rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado rebaixou o time para a Série B do torneio pela primeira vez na história.

Relembre a confusão

Perto do fim da partida, bombas já começaram a ser estouradas nos arredores do Urbano Caldeira. A situação ficou ainda pior quando saiu o segundo gol do Leão. Explosivos foram arremessados para dentro do gramado. Cadeiras foram quebradas e arremessadas no campo, assim como chinelos, papel higiênico e até mesmo assentos sanitários.

Imediatamente, o árbitro acabou o compromisso e correu para o vestiário, assim como os jogadores do Fortaleza. Os atletas do Peixe ainda esperaram por alguns minutos no centro do gramado, alguns chorando.

Do lado de fora, torcedores depredaram o entorno da Vila Belmiro. Um grupo de pessoas ainda tentou invadir o estádio, mas foi contido pela Polícia Militar.

Continua após a publicidade

Além disso, diversos veículos foram queimados. Apenas na Rua Tiradentes foram quatro carros carbonizados, incluindo o da família de Steven Mendoza. Nas proximidades, quatro ônibus foram atacados e incendiados.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes