Gallo externa raiva após rebaixamento do Santos e pede desculpas à torcida: "Estou muito p**!"

O Santos foi rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro na noite desta quarta-feira, após perder por 2 a 1 para o Fortaleza, na Vila Belmiro, pela 38ª rodada. Depois do jogo, o coordenador esportivo Alexandre Gallo externou a sua revolta com a queda em entrevista coletiva.

"Eu fiquei muito p** com o que aconteceu. Muito p**! Com todo mundo que estava no vestiário. O Santos não pode ter um Santos dentro de Santos. Muita coisa errada está acontecendo. Tem muita coisa errada. Em todos os segmentos. Estou preparado pra isso, vou defender o Santos sempre, porque para sacanear tem um monte de gente", disse.

"Eu não podia tomar qualquer outro tipo de situação que não fosse o campo. Focar no campo e dar conforto ao treinador e aos atletas. Para que eles pudessem ter condições e fazerem escolhas. Tudo que os grandes clubes dão, nós demos. Pagamos premiação que nenhum outro clube no Brasil pagou. Fizemos voos fretados pra dar descanso de dois dias. Fizemos ações psicológicas. Pegamos uma equipe com o avião embicando para baixo. E a tendência depois de setembro é uma queda física. Muito difícil com 15, 16 atletas. O que eu vi no vestiário foi jogadores estarrecidos. Eu estou realmente muito p** porque essa camisa não merece isso. É gigante. Sem transferir responsabilidade, todos temos que assumir e seguir em frente", completou.

Alexandre Gallo ainda pediu desculpar à torcida e destacou que o clube fez o possível para evitar o inédito rebaixamento.

"Primeira coisa que tem que externar é pedir desculpas ao nosso torcedor. Porque sermos um clube desse tamanho, com essa camisa, com esse peso. Uma coisa que marca muito. Não esperávamos que isso fosse acontecer. Fizemos o que estava ao alcance do possível", contou

"Tudo que foi possível dentro da legalidade do futebol nós fizemos. Infelizmente não foi a pontuação necessária. Peço desculpas ao torcedor. A mágoa é muito grande. Além de gostar muito desse clube, estivemos em um processo que já era difícil. Recuperamos pontos importantes contra o Cruzeiro, jogos fora de casa. Para chegar até aqui e termos condições dependendo somente de nós", completou.

O dirigente tentou apontar os principais erros que o Santos cometeu ao longo deste Brasileirão e não se isentou da culpa.

Continua após a publicidade

"Parcela de responsabilidade é o comando, sempre. Não tiro meu corpo fora. Mas em termos de erros, nós tentamos fazer e utilizei de tudo da experiência que tenho, de ter feito gestão na CBF. Não consigo te pontuar uma situação negativa... talvez seja que tenhamos uma relação excelente com os atletas e acontecer o que aconteceu em uma véspera. Gerou um gasto de energia desnecessário em um momento delicadíssimo. A relação tem que ser entre gestão e atleta de muita parceria. Eles me respeitam bastante, eu multaria quantas vezes fossem necessárias. Mas perderam a mão em um momento que não era para acontecer", disse.

"é uma somatória, o Santos vem de um tempo longo, pelo menos há uns oito anos sofrendo. Aconteceram coisas que sangraram o Santos, mas nada é justificável pra transferirmos a responsabilidade. É covarde. E não existe covarde. Temos uma equipe hoje que não conseguiu ter essa força por uma vitória a mais. Jogamos no limite. Apesar de estar aqui há apenas 117 dias a responsabilidade", ampliou.

O Santos encerrou o Brasileirão na 17ª colocação, com 43 pontos, dois a menos que o Bahia, que venceu o Atlético-MG e se livrou. Já o Vasco bateu o Red Bull Bragantino e também escapou.

Essa é a primeira vez que o Peixe é rebaixado ao longo dos seus 111 anos de história. O clube já levantou o troféu do torneio oito vezes.

"O futebol é feito de escolhas. Se eu falo que tecnicamente temos problemas e a avaliação de vocês também seria essa: melhorar as escolhas. O Santos tem que ganhar o Campeonato Paulista. Tudo é feito em cima de escolhas. Sinto muito pelo entorno, lógico que a situação é triste. Eu entrei no vestiário chutando tudo, muito p**. Lamento muito pelo que aconteceu", finalizou Gallo.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes