Palco de provável jogo do título, Mineirão foi inaugurado pelo Palmeiras representando a Seleção Brasileira

O Mineirão é um importante estádio para o Palmeiras. Em 7 de setembro de 1965, a Primeira Academia representou a Seleção Brasileira e venceu o Uruguai, por 3 a 0, na disputa da Taça Independência. 58 anos depois, o local pode ser palco da conquista da 12ª taça de Campeonato Brasileiro do clube paulista.

Nesta quarta-feira, o Palmeiras duela com o Cruzeiro, às 21h30 (de Brasília), em Belo Horizonte, pela 38ª rodada do Brasileirão.

Na ocasião, o Palmeiras, então campeão do Torneio Rio-São Paulo em 1965, foi convidado pela Confederação Brasileira de Desportos (CBD), atual Confederação Brasileira de Futebol (CBF), para representar a Seleção no duelo contra a Celeste, que tinha conquistado vaga na Copa do Mundo de 1966 de forma invicta.

O Brasil, então representado pelo Palmeiras, incluindo comissão técnica, superou os uruguaios com gols de Rinaldo, Tupãzinho e Germano. Argentino, o técnico Filpo Núñez foi o segundo estrangeiro a dirigir a Seleção Brasileira. O primeiro foi o uruguaio Ramón Platero, em 1925.

A equipe que entrou em campo foi: Valdir de Morais (Picasso); Djalma Santos, Djalma Dias, (Valdemar Carabina), Procópio e Ferrari; Dudu (Zequinha) e Ademir da Guia; Julinho Botelho (Germano), Servílio, Tupãzinho (Ademar Pantera) e Rinaldo (Dario Alegria)

Com 69 pontos, o Palmeiras vai até o Mineirão podendo vencer ou empatar para ser campeão sem depender de mais nenhuma situação. As equipes que estão logo atrás, com 66 pontos, casos de Atlético-MG e Flamengo, só podem alcançar a atual pontuação do Verdão.

Por fim, caso o time de Abel Ferreira sofra uma derrota, também só fica sem a taça se esses adversários superarem a diferença de saldo de gols, que hoje é de oito e 16, respectivamente.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes