PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Bustos abre jogo sobre situação de Castillo e diz que não travará saídas do Santos

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

26/05/2022 17h14

Com a janela de transferências se aproximando, o Santos já começa a se preparar para estudar novas contratações. Um dos principais alvos do Peixe é Bryon Castillo. O lateral-direito, no entanto, está envolvido em uma grande polêmica.

Recentemente, a Federação Chilena alegou que o jogador equatoriano não teria nascido no Equador, e sim em Tumaco, na Colômbia. Dessa forma, ele teria jogado de forma irregular nas Eliminatórias para a Copa do Mundo. A Fifa prometeu investigar o caso e dar uma resposta em breve.

Caso a entidade confirme a irregularidade, Castillo pode ser suspenso ou até banido do futebol, enquanto a seleção equatoriana perderia a sua vaga no Mundial do Catar.

Nesta quinta-feira, Faián Bustos saiu em defesa do jogador, que é um velho conhecido do técnico. Eles dividiram vestiário no Barcelona de Guayaquil. O argentino também comentou sobre a chance de levar o atleta de 23 anos para o Santos.

"Ele é um bom jogador, foi campeão comigo da Liga Equatoriana e semifinalista da Libertadores. Tem um ótimo rendimento e chegou na seleção equatoriana. Mas hoje a janela de transferências está fechada. Sei que está passando um momento complicado, por tudo isso que é mais midiático do que real. Ele tem todos os documentos e não há nenhuma dúvida sobre sua nacionalidade. Quando abrir a janela sentaremos com a diretoria e falaremos onde poderemos reforçar a equipe", disse em entrevista ao jornalista André Hernan.

"Conheço o Byron muito bem, sei da capacidade e do grande jogador que é, mas não gosto de falar de nomes. Porque isso eleva o valor. O que quero hoje é pensar nos que tenho hoje para jogar no domingo. Quando chegar o momento, seguramente darei minha opinião para a diretoria", completou.

O comandante argentino também aproveitou para falar sobre a possibilidade de perder alguns atletas no meio do ano. Ele destacou que não irá se opor caso a negociação seja boa para o clube.

"Eu não me preocupo se amanhã a gente perca o melhor jogador da nossa equipe. Eu não vou fazer travas. Vou apoiar a decisão da diretoria. Penso que nós, treinadores, temos que trabalhar para, caso tenha alguém vendido, formar outro jogador para assumir o lugar do que se foi e tratar de solucionar o problema econômico. O presidente está fazendo um trabalho muito bem. Veremos se traremos alguém da base ou de algum scout que a parte executiva faz. O que for melhor para o clube, vou sempre apoiar", afirmou.

A janela de transferências do futebol brasileiro volta a abrir no dia 18 de julho, com fechamento em 15 de agosto.

Enquanto as propostas não chegam, o Peixe foca no Campeonato Brasileiro. Neste domingo, o clube recebe o Palmeiras, pela oitava rodada do torneio. A bola rola no gramado da Vila Belmiro a partir das 16 horas (de Brasília).

Futebol