PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Europa e América do Sul podem boicotar Copa bienal, diz presidente da Uefa

Aleksander Ceferin, presidente da UEFA - FRANCK FIFE / AFP
Aleksander Ceferin, presidente da UEFA Imagem: FRANCK FIFE / AFP

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

09/09/2021 13h48

Nesta quinta-feira, o presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, criticou a possibilidade da Copa do Mundo ser disputada a cada dois anos em entrevista ao The Times. O dirigente destacou que seria prejudicial aos jogadores, já que haveria um torneio de seleções por ano, e disse que europeus e sul-americanos (representados pela Conmebol) podem boicotar a competição.

"Podemos decidir não disputar. Pelo que sei, os sul-americanos sentem o mesmo. Por isso, boa sorte com um Mundial desses. Penso que nunca irá acontecer, dado que vai contra os princípios básicos do futebol. Jogar, todos os verões (europeus), um torneio de um mês iria matar os jogadores", afirmou.

Se for de dois em dois anos, irá coincidir com o Mundial feminino e com o torneio olímpico de futebol. O valor da competição vem do fato de se realizar a cada quatro anos. Espero que ganhem noção, porque não vejo a abordagem apropriada de consultar todos menos as confederações, de não falar conosco. Não se encontraram conosco, não nos ligaram, não nos escreveram uma carta, nada. Só leio na comunicação social", completou.

A grande liderança da ideia de reformulação do calendário do futebol mundial é Arsène Wenger, ex-técnico do Arsenal e atual chefe de desenvolvimento global da Fifa. O francês propõe um torneio de seleção a cada ano, com a Copa do Mundo alternando com as competições continentais, como Copa América e Eurocopa.

Esporte