PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Botafogo se posiciona contra saída do Ato Trabalhista

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

09/05/2021 16h48

O Botafogo foi pego de surpresa com a notícia de que foi retirado do Ato Trabalhista. Com isso, o clube fica exposto a penhora de dívidas na Justiça.

Os alvinegros foram excluídos após não pagarem algumas parcelas. No entanto, o pagamento foi suspenso por conta da pandemia de Covid.

De acordo com o Tribunal Superior do Trabalho, o Botafogo precisa pagar os seguintes meses: abril, maio, junho, julho e outubro de 2020, além de março de 2021.

Por meio de nota oficial, o Botafogo informou que vai buscar a suspensão de sua saída.

Confira a nota oficial:

O Botafogo de Futebol e Regatas foi surpreendido nesta sexta-feira (7/5) com a manifestação do Exmo Sr. Juiz do Trabalho Jorge Fernando Gonçalves da Fonte, que decidiu, monocraticamente, pela revogação do Plano Especial de Pagamento Trabalhista - PEPT concedido pelo Ato 156/2014 ao Clube.

O Botafogo informa que tomará as medidas processuais cabíveis para impugnar a decisão em comento tão logo seja intimado regular e oficialmente da decisão, buscando restabelecer o Ato 156/2014 em sua plena vigência e eficácia.

O Botafogo de Futebol e Regatas esclarece que a decisão baseia-se em premissa questionável, sendo incompreensível a revogação do referido Ato em tais circunstâncias, sobretudo no presente momento de grave crise que assola todo o país.

Futebol