PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Galiotte defende estadual, mas critica calendário: "Precisa ser repensado"

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

21/04/2021 17h00

A pandemia do novo coronavírus apertou o calendário de muitas equipes, e o Palmeiras tem sofrido com isso. Nesta quarta-feira, o Verdão estreia na Copa Libertadores e volta a campo na sexta, pelo Paulistão.

Maurício Galiotte comentou, em entrevista à ESPN, sobre o calendário brasileiro. Mesmo destacando a importância dos campeonatos estaduais, defendeu que uma mudança precisa acontecer.

"Se formos comparar campeonatos aqui e Europa, a diferença básica está nos jogos dos estaduais. Um clube brasileiro que faz todos os jogos, chega entre 75 e 80 jogos. Se não tiver os jogos dos Estaduais, fica em torno de 60 jogos, o que o clube de ponta na Europa faz", comentou o cartola.

A equipe alviverde tem dado prioridade para as competições de mata-mata durante o início desta temporada. Enquanto o Palmeiras entrou com titulares na Recopa e Supercopa do Brasil, Abel Ferreira tem feito rodízio no Campeonato Paulista.

"O Campeonato Estadual é importante, gera recursos para outros clubes, mas compromete o calendário. Se eu falar que não temos mais regional, vai ter uma polêmica, tem a história do Paulista. O fato é: o tema precisa ser repensado, talvez a diminuição de jogos no Estadual para os clubes que participam do Campeonato Brasileiro", concluiu Galiotte.

O Palmeiras entram em campo nesta quarta, às 21h, contra o Universitario-PER. A partida acontece fora de casa, no Monumental U. Na sexta-feira, o Verdão volta suas forças para o Paulista ao visitar o Guarani, às 20h.

Futebol