PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Cauteloso, Odair minimiza G-4 do Fluminense no momento

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

26/10/2020 13h48

O Fluminense embalou no Campeonato Brasileiro e alcançou o G-4 com a vitória sobre o Santos, neste domingo. A ascensão na tabela vem como consequência de uma série invicta de sete partidas na competição nacional.

Entretanto, a boa fase e o quarto lugar na tabela não empolgam o técnico Odair Hellmann. O comandante tricolor prefere manter a cautela em uma competição longa e que ainda não chegou na metade.

"Estamos em uma boa posição, que fizemos por merecer dentro do campo. Mas faltam muitos jogos pela frente e precisamos estar atentos. Futebol é como termina, não como começa e não como está no meio", ponderou em sua coletiva após o jogo no Maracanã.

"O segundo turno sempre é muito mais difícil, é a definição do campeonato, tanto na parte de baixo como em cima. Os jogos ficam diferentes, e precisamos continuar somando o maior número de pontos para continuar nesse patamar. É com muita tranquilidade que vamos seguir jogo a jogo mostrando nossa organização, nossa postura, nosso jogo, para conseguir os resultados", completou.

Disputando apenas o Campeonato Brasileiro, o Fluminense tem a vantagem de só entrar em campo uma vez por semana. Nesta segunda-feira o elenco recebeu folga e se reapresenta na terça. Os treinos serão realizados todos os dias pela manhã até sexta, quando a delegação seguirá para Fortaleza na parte da tarde.

No sábado, o Flu enfrenta o Fortaleza no Castelão, às 21 horas, pela 19ª rodada do Brasileiro.

"Minha conta é buscar os três pontos contra o Fortaleza. A matemática é essa. Passo a passo, degrau a degrau para se consolidar na parte de cima. Estou feliz com o grupo, mas futebol é como termina na 38ª rodada. Então precisamos corrigir detalhes para estar lá", disse.

Para esta partida, Odair terá um desfalque de peso. Eleito melhor em campo contra o Peixe, o volante Dodi recebeu o terceiro amarelo e está suspenso.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Futebol